Cidadeverde.com

PGM propõe repactuação da dívida com SETUT para pôr fim à greve dos motoristas

Para tentar resolver o impasse que mantém a greve dos motoristas e cobradores de ônibus de Teresina, a Prefeitura de Teresina, por meio da Procuradoria Geral do Município, está proponde uma ampliação do prazo de pagamento do valor devido às empresas de ônibus. No ano passado, a Prefeitura firmou um acordo com o SETUT, pactuado na justiça, para repassar R$ 26 milhões às empresas de ônibus, em 12 parcelas, como forma de compensação ao congelamento do valor da tarifa de ônibus em R$ 4.

A atual gestão alega que não tem como firmar esse pagamento no prazo estabelecido e propõe uma repactuação, a ser homologada na justiça, elastecendo esse prazo para 24 meses. Os empresários dizem que sem essa contrapartida não têm como repassar aos motoristas e cobradores os valores que estão sendo cobrados e que se tornou o motivo da greve no sistema de transporte público, que já se arrasta há uma semana.

O Procurador Geral do Município, Aurélio Lobão, acredita que chegando a esse entendimento entre Prefeitura e Setut, a greve poderá acabar. Por outro lado, a PGM recorreu à justiça para que seja cumprida a exigência de circulação de pelo menos 70% da frota nos horários de pico e 30%, no entrepico, com pagamento de multa no valor de R$ 50 mil por dia em caso de descumprimento.