Cidadeverde.com

Sesapi admite incluir policiais como grupo prioritário para receber vacina

Secretaria de Saúde do Estado estuda a possibilidade de vacinar, como grupo prioritário, os policiais civis e militares. O pedido para vacinar esses profissionais partiu do deputado Carlos Augusto (PL), ex-comandante da PM. O Ministério Público também já apresentou recomendação nesse sentido.

O deputado explicou que os trabalhadores da segurança estão se arriscando nesse período de pandemia ao atuarem nas barreiras sanitárias, nas fiscalizações de apoio às ações da Vigilância Sanitária, bem como na guarda e transporte de vacinas contra a Covid-19. Ele pede a inclusão de policiais militares, bombeiros, policiais civis e penais.

O secretário estadual de saúde, Florentino Neto, ficou de levar a proposta à Comissão Intergestora Bipartite. Muitas categorias estão reivindicando o direito a serem consideradas como grupo prioritário no recebimento da vacina, a exemplo dos agentes funerários que já conseguiram essa conquista. O problema é que o número de vacinas disponibilizadas ainda é muito pequeno.

Só ontem, o Piauí registrou 49 mortes, o maior número desde o início da pandemia e a taxa de ocupação de leitos de UTI já está em 94%, considerada altíssima. No entanto, até o momento, foram vacinados apenas 4,44% da população. Faltam vacinas, sobram medo e preocupação.