Cidadeverde.com

Psicólogo explica possíveis causas de suicídio

CARTA ABERTA AOS PIAUIENSES

REFLEXÕES SOBRE O SUICÍDIO (INCLUSIVE DO EX-PREFEITO FIRMINO FILHO)

Teresina, 12 de abril de 2021

Há quase uma década, um movimento voltado para ações de prevenção do suicídio se iniciou em Teresina. Sem querer estabelecer que nada antes houvera sido feito nesse sentido, creio que tomou vulto após uma palestra que fiz no Centro Pastoral Paulo VI, a pedido do Padre Tony Batista, onde o então prefeito Firmino Filho estava na plateia. Após a minha fala, Firmino pediu a palavra e disse que, a partir dali, diante dos dados que apresentei, a prefeitura teria uma postura mais pró-ativa na causa da prevenção do suicídio. Logo em seguida, houve uma reunião, também no Paulo VI, em que estiveram presentes, além de mim, representantes da ASA (Ação Social Arquidiocesana), o Dr. Samuel Rêgo (coordenador de Saúde Mental da Prefeitura, à época), entre outros. Meses depois, fui informado da criação do PROVIDA (ambulatório destinado a tratar, exclusivamente e de portas abertas, pessoas em crise suicida) e chamado para participar de um evento do Setembro Amarelo daquele ano, no auditório da FIEPI (Federação das Indústrias do Estado do Piauí), para divulgar o marco inicial do PROVIDA, que considero uma das melhores ideias e iniciativas para a prevenção do suicídio no Brasil. Além disso, também através da prefeitura, fui contratado para dar uma capacitação para todos os profissionais dos CAPS de Teresina acerca deste tema.
Bom, fiz esse breve resgate histórico para dizer a vocês que tudo que envolve o fenômeno, tudo que envolve o comportamento suicida, é extremamente complexo. O homem que ajudou a criar várias ações voltadas para a prevenção do suicídio, ele mesmo, oito anos depois, tira a própria vida. Fico pensando, depois de ler isto, o que os “especuladores de plantão” diriam? Aliás, além do que já andam dizendo. Como pode? Deve ter sido isso, ou aquilo, ou aquilo outro… Talvez até “será que essa preocupação do ex-prefeito já não era sinal de que ele pensava em tirar a própria vida?”. 
Agora, permitam-me falar, da forma mais breve que consiga, sobre algumas impressões do comportamento suicida (isso envolve um PROCESSO que vai desde os pensamentos até a tentativa em si), com o lastro de quem estuda e pesquisa este tema há quinze anos, com mestrado e doutorado na área, além de atender como psicoterapeuta muitas pessoas nessa situação. Aqui, falo de forma geral, sem qualquer alusão direta a um ou outro caso particular.
O suicídio é a expressão máxima do desespero humano. Vocês já pararam para pensar o que significa o termo “expressão”? Ex-pressão é algo que, anteriormente, era PRESSÃO. Assim como um ex-funcionário, por exemplo, era, anteriormente, um funcionário. Que tipo de pressões podem acontecer em certos momentos das nossas vidas? Pressão interna, da família, da sociedade, da mídia, de falta de recursos financeiros, entre outras. Mas, para não deixar a pessoa em condição exclusiva de vítima dos fatores externos, em absoluto, o indivíduo com suas vulnerabilidades se deixa pressionar por não ter recursos internos para lidar com essas situações naquele momento. Afinal, todos sofremos pressões, mas, felizmente, a maioria de nós não recorre a comportamentos autodestrutivos diante disso.

Carlos Henrique Argão

Doutor em psicologia