Cidadeverde.com

Covid pode deixar comprometimento cerebral

A preocupação com a Covid-19 vai muito além do período de infecção da doença, ou do tempo em que o paciente está internado para tratar os sintomas. As consequências do que se chama Covid tardio podem se estender por vários meses e por diferentes órgãos do corpo humano. Os estudos têm mostrado que cerca de 34% dos pacientes que foram infectados pelo coronavírus apresentam algum tipo de complicação neurológica ou psiquiátrica.

Em entrevista ao Jornal Cidade Verde, ontem à noite, o Chefe da Neurologia Vascular da Unifesp, Dr. Feres Chaddad, explicou que durante o tempo de maior atividade do vírus, o paciente pode desenvolver problemas como Acidente Vascular Cerebral isquêmico - quando há obstrução do vaso sanguíneo que impede a oxigenação do cérebro – hemorragia cerebral, ruptura do aneurisma e tromboses cerebrais agudas.

Mas os perigos, diz ele, não se acabam quando o paciente recebe alta. No pós- Covid, a pessoa pode apresentar comprometimento da memória recente, apatia e comprometimento intelectual. E esses sinais aparecem justamente quando a pessoa retoma as suas atividades profissionais. Dr. Feres explica que quanto maior o grau de intelectualidade do trabalho, mais esses sintomas se tornam evidentes. E que até mesmo o cansaço físico pode se manifestar como sequela do desgaste cerebral.

O que a medicina ainda não sabe dizer, de forma conclusiva, em razão de ser uma doença muito recente, é se essas sequelas são transitórias ou permanentes.