Cidadeverde.com

Flexibilização acontece com taxa de ocupação de leitos próxima a 100%

Depois de uma relativa folga no número de casos e mortes por Covid-19, o Piauí volta a ficar no vermelho. Dados levantados pela UFPI/Fiocruz mostram que, ontem, a taxa de ocupação dos leitos variava entre 92% a 100%, um índice altíssimo e extremamente preocupante. O mapa mostra que na maior parte do Estado, a área que aparece na cor roxa, a ocupação dos leitos é total, ou seja 100%. Já nos territórios Carnaubais, Vale do Sambito e Entre Rios, onde se situa Teresina, a taxa de ocupação chega a 92,49%, incluindo os leitos privados, da Maternidade Dona Evangelina Rosa e Hospital Infantil.

O que mais chama atenção é que é nesse cenário de aumento no número de casos e internações hospitalares que se dá uma abertura quase total das atividades econômicas, inclusive nos finais de semana. Infelizmente, a prática tem mostrado que não há equipes de fiscalização suficientes para se fazer presente em todos os lugares onde as pessoas se aglomeram, muitas delas sem máscara de proteção facial.

Contar só com a consciência das pessoas para manter as medidas de distanciamento necessárias chega a ser utopia. Cansados de mais de um ano de pandemia, os piauienses estão cada vez mais soltos em festas, bares e restaurantes, bebendo, dançando, bem próximos uns dos outros, como se não houvesse amanhã.

Para completar, as doses das vacinas contra a Covid-19 estão chegando em ritmo cada vez mais lento, e com tendência de se arrastar ainda mais por causa do atraso na remessa do IFA – o Ingrediente Farmacêutico Ativo, indispensável para a produção dos imunizantes. Neste mês de maio, o ritmo da vacinação em todo o Brasil caiu 17% em relação a abril. Tudo isso leva a crer que teremos dias muito difíceis pela frente.