Cidadeverde.com

Polícia faz desabafo sobre criminosos postos em liberdade

A polícia civil desmanchou ontem um laboratório de refino de drogas, localizado na zona sul de Teresina. Pela quantidade de drogas, instrumentos e dinheiro apreendidos, o “negócio” foi  identificado como de grande porte. Os policiais também desvendaram um crime ocorrido em março passado, quando dois jovens foram assassinados no Morada Nova em menos de 24 horas.

De acordo com o Delegado Francisco Costa, o Baretta, a polícia tem dado resposta aos crimes praticados no Piauí, a maior parte deles por causa das drogas. Mas isso não tem sido suficiente porque, uma vez identificados e presos os acusados, logo eles são postos em liberdade. Na melhor das hipóteses, portando uma tornozeleira eletrônica, que não os impede de praticar novos crimes, o que é bastante comum, aliás.

Baretta, um delegado experiente e comprometido com o trabalho que executa à frente da polícia civil, chegou a fazer um desabafo, que é o mesmo de toda a sociedade. De que adianta os esforços da polícia para prender os bandidos se eles não permanecem na prisão, respondendo pelos crimes que cometeram?

Muitos não são sequer julgados e, por isso, decorrido o prazo de espera pelo julgamento, são colocados na rua novamente. É um desperdício de tempo, dinheiro e energia empregados pela polícia, já que os acusados não cumprem suas penas como deveriam.

A justiça precisa ser mais célere e dar a resposta que a sociedade precisa. Os piauienses estão cansados de sofrer assaltos, sequestros, feminicídios e assassinatos, sem que os culpados sejam punidos. A impunidade, aliás, é irmã da criminalidade.