Cidadeverde.com

Igreja de Teresina celebra 65 anos da ASA

No próximo domingo, 13 de junho, quando os fiéis católicos celebram o dia de Santo Antônio, a Igreja de Teresina comemora os 65 anos da ASA – Ação Social Arquidiocesana, criada em 1956 pelo então Arcebispo Dom Avelar Brandão Vilela. A ASA nasceu com o propósito de ser o braço social da Igreja, oferecendo serviços às populações mais vulneráveis e esquecidas pelo poder público e pela sociedade.

A Instituição, reconhecida como de Utilidade Pública pelo Município, Estado e União, presta atualmente nove diferentes serviços nas áreas de assistência social, saúde e educação, trabalhando pela promoção humana, resgate da dignidade e valorização da autoestima de pessoas que se encontram à margem das políticas públicas oficiais. É assim que trabalha o seu Diretor Executivo, Padre Tony Batista.

Quem não lembra do serviço prestado durante décadas pelo Lar da Fraternidade para acolher e prestar atendimento a portadores do vírus HIV, quando estes ainda eram estigmatizados e, muitas vezes, abandonados pela própria família em razão do preconceito? Pois o Lar da Fraternidade é apenas um dos muitos serviços da ASA, assim como o Lar de Misericórdia, que recebe pacientes com câncer que vêm do interior para se tratar na capital. Ou a Casa de Zabelê, que orienta, acolhe e promove cursos de capacitação para meninas em situação de risco e vulnerabilidade; ou ainda o Centro Maria Imaculada, referência no tratamento a pacientes com hanseníase; o serviço Levanta-te, Vem para o Meio, que forma e qualifica pessoas com deficiência para inseri-las no mercado de trabalho, e tantos outros.

As ações são múltiplas, porém com o mesmo propósito: salvar vidas, não apenas no aspecto biológico, do cuidado com a saúde, mas também do cuidado com a alma, com a valorização do ser humano. No ano passado, mesmo com as limitações impostas pela pandemia, a ASA atendeu mais de 10 mil pessoas. Gente simples que pôde voar mais alto em busca da felicidade.