Cidadeverde.com

Medicamento da Pfizer testado no Brasil reduz em 37% as mortes por Covid

Surge mais uma esperança para o tratamento da Covid. Estudos realizados pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa, vinculado ao Hospital Albert Einstein, em parceria com a Pfizer, revelaram que o uso do medicamento tofacitinibe em pacientes internados com a doença reduzem em até 37% o risco de morte e de falência respiratória.

A pesquisa foi feita com 289 pacientes de 15 centros médicos espalhados pelo Brasil durante 28 dias. Os resultados mostraram que o medicamento age para prevenir uma resposta inflamatória exacerbada, comum em pacientes com Covid, que acabam lesionando os pulmões e os rins.

Este medicamento já é comercializado como o nome de Xeljanz e é indicado para o tratamento de artrite reumatoide, artrite psoriásica e retocolite ulcerativa. Os resultados da pesquisa foram publicados ontem na The New England Journal of Medicine.

Como alerta o coordenador da pesquisa no Brasil, médico Otávio Berwanger, não se pode esperar uma “bala de prata”, algo que vá trazer a cura definitiva para os casos de pacientes internados com Covid, mas já é um avanço e traz perspectivas animadoras ao reduzir o número de mortes e de necessidade de ventilação mecânica. Importante lembrar que esse medicamento não funciona como prevenção à Covid. Ele é administrado apenas para pacientes hospitalizados, já em um segundo estágio da doença e sob orientação médica.