Cidadeverde.com

Piauí gasta mais de 800 dias para julgamento de sentenças

O Piauí apresenta um dos piores índices relacionados ao registro de propriedade no país, com a capital,Teresina, ocupando o 21º lugar entre as capitais do país. Os dados fazem parte do relatório Doing Business Subnacional Brasil 2021, desenvolvido pelo Banco Mundial, com a participação dos 26 Estados brasileiros, mais o Distrito Federal. Um dos principais motivos para colocar o Piauí nesta posição é a coordenação entre os Tabelionatos de Protesto de Títulos na emissão da certidão de protesto.

Alguns dados do relatório até parecem animadores, como o de que Teresina está entre as dez capitais brasileiras com potencial para fazer negócios e na obtenção de alvarás da construção civil. Mas o progresso no mundo empresarial ainda esbarra em alguns gargalos. Um deles é a lentidão do judiciário. O Piauí ocupa o 3º lugar em tempo gasto no julgamento e sentenças judiciais, com uma média de 800 dias, o que corresponde a mais de 2 anos e dois meses.

Para completar, o Estado do Piauí detém os únicos Cartórios de Registro de Imóveis no país que ainda operam um sistema manual, completamente atrasado em um mundo onde tudo – ou quase tudo – se realiza na velocidade do mundo virtual.

Conclusão: temos potencial de crescimento, mas precisamos aperfeiçoar nossos mecanismos burocráticos para que o mundo dos negócios possa avançar no território piauiense.