Cidadeverde.com

Nordeste brasileiro deve enfrentar secas mais intensas

O mundo inteiro volta os olhos hoje para uma preocupação que deveria ser também a do Brasil. Não bastasse os danos irreversíveis causados pela pandemia da Covid, o clima também está provocando danos em todo o planeta. O relatório do Painel Intergovernamental sobre Mundanças Climáticas, divulgado hoje, mostra que a Terra está caminhando rapidamente para um nível de aquecimento que pode comprometer seriamente a nossa qualidade de vida.

De maneira geral, teremos, cada vez mais, eventos extremos, de seca ou de inundações. Basta olhar o que aconteceu recentemente na Alemanha e na Bélgica com cheias catastróficas. Aqui no Brasil, a seca intensa vivida nas regiões Centro e Sudeste também são reflexo do aquecimento global, fenômeno causado pela ação desordenada do homem sobre o meio ambiente.

Não se trata de papo de veganos ou ambientalistas distantes da realidade. É o que já está acontecendo de fato, de forma rigorosamente medida e quantificada.  A temperatura média do planeta subiu 1,1° C desde a segunda metade do século XIX. E essa tendência continua. No melhor dos cenários, alertam os cientistas, a temperatura deve alcançar 1,5°C de aquecimento nas próximas duas décadas.

No Nordeste brasileiro, e mais especificamente no Piauí, o que podemos esperar são períodos de estiagem mais intensos e prolongados que o de costume. E episódios isolados de chuva concentrada em grandes volumes de uma só vez, causando os conhecidos estragos.