Cidadeverde.com

Lacen está sem insumos para realizar exame da dengue

 

No momento em que a dengue avança sobre Teresina, com o registro de 6 mortes causadas pela doença, o Laboratório Central está sem insumos para realizar os exames que fazem o diagnóstico preciso. Em compensação, o combate ao mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão da dengue, zica e chykungunia, ganhou um aliado de peso. O Exército brasileiro entrou em campo ontem à tarde com 50 homens para ajudar as equipes da Fundação Municipal de Saúde a encontrarem possíveis focos com a presença de larvas. Caso seja necessário, mais cem homens deverão integrar a equipe.

O trabalho começou pelo bairro Ilhotas, na zona sul de Teresina, uma área de grande concentração de edifícios residenciais. Logo na primeira vistoria, os soldados do Exército encontraram pneus velhos, baldes e tampinhas que acumulam água da chuva e armazenam as larvas que vão se transformar em mosquito no futuro.

No início da semana, os reeducandos do sistema prisional em regime semiaberto já haviam sido incorporados ao mutirão de combate ao mosquito. Eles trabalham na capina e varrição dos espaços públicos em troca de redução da pena.

O grande desafio do poder público continua a ser os terrenos baldios e os imóveis abandonados. Mas o secretário Edmilson Ferreira, da Semduh, já avisou que a Prefeitura levará chaveiros para abrir esses imóveis fechados e fazer a vistoria, uma vez que o interesse público se sobrepõe ao interesse privado.