Cidadeverde.com

OMS divulga estudo sobre sintomas da covid longa

Depois de passada a fase aguda da pandemia da Covid-19, com acentuada redução no número de mortes em função da vacinação em massa, os estudos agora estão focados para o que os médicos chamam de covid longa, ou seja, os sintomas prolongados que podem se estender por vários meses depois que o paciente é acometido com a doença.

As últimas pesquisas divulgada este mês pela Organização Mundial de Saúde apontam para, pelo menos, 200 sintomas listados, atribuídos à covid longa. E eles podem afetar diferentes órgãos do corpo. Três das manifestações mais comuns relatadas pelos pacientes são : fadiga ( cansaço extremo), perda de fôlego e dificuldade para respirar, e problemas de concentração e memória. A médica Janet Diaz, da OMS, diz que é possível caracterizar como covid longa se a pessoa tiver algum desses sintomas persistentes três meses após ter sido contaminada pelo coronavírus. No entanto, em alguns casos, os sintomas podem perdurar por mais de um ano.

Um estudo recente da Fiocruz de Minas constatou que metade dos pacientes que participaram da pesquisa apresentou sequelas por mais de um ano. O trabalho também contabilizou 23 sintomas depois da fase aguda da doença, sendo a fadiga a mais comum. 35,6% dos participantes relataram a fadiga pós covid; 34% se queixaram de tosse persistente, enquanto 26,5% responderam que sentiam dificuldade para respirar vários meses após terem sido infectados.