Cidadeverde.com

4 em 10 famílias no Brasil não têm o que comer

Os dois últimos anos de pandemia da Covid-19 foram cruéis para acentuar a fome no Brasil. Mais da metade dos brasileiros - 58,7% - sofrem com algum grau de insegurança alimentar, caracterizada quando não há certeza se terão o que comer na refeição seguinte. Atualmente, 4 em cada 10 famílias não conseguem acesso pleno à alimentação. Os dados são do Segundo Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia no Brasil.

A fome expõe sua face mais dura e, também, de forma desigual. As regiões Norte e Nordeste são as mais afetadas. No caso no Nordeste, o percentual da população que sofre com insegurança alimentar é de 68%, dez por cento a mais que a média nacional. Outra face da desigualdade é que a falta de alimentos afeta mais pessoas de cor negra, lares chefiados por mulheres e moradores do campo.

A pesquisa foi feita entre novembro de 2021 e abril de 2022 e mostra que 33,1 milhões de pessoas não têm o que comer no Brasil, 14 milhões a mais do que na última pesquisa realizada em 2019. É um retrato perverso de como os mais vulneráveis foram justamente os mais atingidos pela pandemia da Covid-19 e, por isso mesmo, merecem uma atenção especial de políticas públicas que possam minimizar os impactos causados pelo coronavírus.