Cidadeverde.com

UM VOO À SERRA DA CAPIVARA

Com bastante atraso, os piauienses recebem a notícia de que dentro de 60 dias a pista do aeroporto internacional de São Raimundo Nonato deve ser homologada. As obras do aeroporto já estão em fase de finalização. Esta obra, tal como o porto de Luís Correia, é um sonho antigo de todos que moram neste Estado. Mas, uma e outra, arrastam-se indefinidamente pelo tempo, abrindo mão de um potencial gerador de renda.

O Estado do Piauí sofre desvantagem com relação ao turismo, se comparado aos outros Estados nordestinos que possuem uma faixa litorânea bem mais extensa que a nossa, de apenas 66 km. No entanto, aqui encontra-se situado um dos mais importantes sítios arqueológicos do planeta, mantido à custa de muito esforço e abnegação pela professora Niéde Guidon, uma guerreira incansável na defesa do Parque Nacional da Serra da Capivara. Não fosse a professora, não teríamos hoje o Museu do Homem Americano, uma joia rara incrustada no sertão piauiense.

O Parque ocupa uma área de 214 km e reúne 912 sítios arqueológicos com um acervo riquíssimo de pinturas rupestres que atestam a presença de vida humana naquela área há mais de 50 mil anos. Desde 1991, é considerado pela UNESCO Patrimônio Cultural da Humanidade. Diz-se que na Serra da Capivara estão os registros mais antigos da presença do homem no continente americano. Um tesouro inestimável, que deveria atrair milhares de turistas, gerando riqueza para o Estado.

No entanto, o Parque fica a 530 km de Teresina e chegar até lá não é tarefa fácil.  O acesso mais rápido é pelo aeroporto da cidade de Petrolina, em Pernambuco. Ou seja, a porta de entrada para um dos maiores atrativos turísticos do Piauí fica fora do Estado, inexplicavelmente.

O aeroporto internacional de São Raimundo Nonato não pode mais continuar sendo apenas uma promessa. É uma obra de infraestrutura imprescindível para alavancar o turismo cultural e ecológico, proporcionando a criação de empregos e gerando renda para uma das regiões mais carentes do Brasil, apesar da imensa riqueza natural de que dispõe.