Cidadeverde.com

EDUCAÇÃO QUE TRANSFORMA

Em uma época de tantas notícias ruins sobre a economia, a política e a segurança pública, a educação vem nos redimir. No ranking das maiores notas obtidas na avaliação do Exame Nacional do Ensino Médio de 2014, divulgado ontem pelo MEC, o Piauí aparece com duas escolas entre as vinte melhores do país. E não é a primeira vez que o Estado desponta entre as escolas de ponta do Brasil, competindo com Estados reconhecidamente mais ricos e desenvolvidos, como Rio de Janeiro e São Paulo, por exemplo.

Prova de que a educação pode romper barreiras econômicas e geográficas. Com um projeto pedagógico sério, professores valorizados e o compromisso com o  ensino de qualidade, os alunos são capazes de se destacar, independente de onde se encontrem. Foi isso que o Instituto Dom Barreto e o Colégio Lerote demonstraram, alcançando o décimo sexto e o vigésimo lugar, respectivamente.

Para melhorar ainda mais nossa autoestima, tão castigada por outros indicadores, vale ressaltar uma outra lista: a das escolas públicas que obtiveram melhores  notas no ENEM. Entre os 21 estabelecimentos de ensino público listados, quatro são piauienses: o Campus Angical do Instituto Federal do Piauí, o Campus Parnaíba do Instituto Federal do Piauí , a já conhecida e premiada escola Augustinho Brandão em Cocal dos Alves e o Campus Picos, também do Instituto Federal do Piauí.

Todas essas escolas são motivo de orgulho e devem servir de exemplo para o  Estado, como uma demonstração inequívoca de que, quando bem conduzida,  a educação é um rio que corre intrépido, apesar das margens estreitas que tentam sufocá-lo. E esse é o único caminho possível para vencer o atraso e o subdesenvolvimento. Com alunos bem preparados e qualificados poderemos vencer o ciclo de pobreza que os cerca no sertão piauiense.

São exemplos pontuais e localizados. Mas têm a força de mostrar que é possível e que educação tem mais a ver com determinação e boa vontade do que com dinheiro, embora este seja necessário, sobretudo para pagar salários decentes aos professores.

As notas desses alunos soam para nós como notas musicais de extrema beleza e nos fazem acreditar na nossa capacidade de superação e, acima de tudo, de transformação da nossa realidade. É o Piauí que brilha!