Cidadeverde.com

LAVAGEM DE DINHEIRO É ALVO DA POLÍCIA NO PIAUÍ

Está em curso a primeira operação do Laboratório de Lavagem de Dinheiro da Secretaria de Segurança do Piauí. A ação é sigilosa e o princípio que a rege tem como modelo o trabalho já realizado com sucesso em outros Estados brasileiros. A estratégia do grupo é descapitalizar a atividade criminosa, matando-a por asfixia financeira.

O laboratório de tecnologia contra lavagem de dinheiro foi reativado com a posse do Secretário Fábio Abreu. E começa a dar sinais de que vem novidade por aí. A polícia se preparou para atuar de forma a minar a ação de bandidos, seguindo o curso do dinheiro obtido de forma ilegal

O grupo trabalha com inteligência policial, uma maneira eficaz e econômica de desvendar crimes que envolvem grandes quantidades de dinheiro. Segundo os profissionais que atuam no laboratório, só a prisão não resolve. É preciso secar a fonte que alimenta o crime para que ele não tenha mais fôlego para sobreviver depois que os bandidos já estiverem em liberdade.

Infelizmente, o crime de lavagem de dinheiro tornou-se mais comum do que se imagina no Brasil, ramificando-se aqui também pelo Piauí. A boa notícia é que a polícia está se organizando cada vez mais para desmontá-lo. O Laboratório existente na Secretaria de Segurança do Piauí revela uma nova forma de trabalhar, na qual a inteligência e a disposição da equipe são as principais armas de combate ao crime que faz escorrer pelo ralo o dinheiro do contribuinte.

Com o sequestro e a indisponibilidade de bens, o Estado tem como reaver o dinheiro sujo, fruto do crime, para devolvê-lo à sociedade sob a forma de serviços que são essenciais à população.