Cidadeverde.com

PREFEITOS DO INTERIOR DÃO EXEMPLO AO PAÍS

Os Estados brasileiros estão preocupados com a situação finaceira e como vão fazer para honrar os compromissos com a folha de pagamento, que costuma comprometer boa parte  da receita de cada um. No Rio Grande do sul, a crise chegou ao extremo, com o parcelamento do pagamento dos servidores públicos e o protesto destes expresso nas ruas.


A crise nacional contamina os Estados e os municípios. O Prefeito de Itabira, no interior de Minas Gerais, reduziu em 25% os salários dele próprio, do vice e dos cargos comissionados. Em Água Comprida, no mesmo Estado, o Prefeito decidiu cortar metade do salário,temporariamente, até que a situação melhore. Além disso, estabeleceu cortes nas despesas com telefone, combustível  e energia elétrica.


A mesma disciplina financeira já havia sido adotada aqui também, no interior do Piauí, pelo Prefeito de Corrente, Jesualdo Cavalcante. Preocupado com a receita em queda, Jeualdo, que é um administrador experiente, resolveu cortar gastos, incluindo o seu próprio salário, para não sacrificar os servidores e os serviços essenciais que o município deve oferecer à população.


A preocupação agora volta-se para o Estado do Piauí. Ontem, o Secretário de Fazenda, Rafael Fonteles, disse que tem em caixa R$ 90 milhões, dos R$ 150 milhões necessários para pagar a parcela do décimo terceiro salário aos servidores públicos. Resta pouco mais de dois meses para ele conseguir os R$ 60milhões restantes. 


Os pequenos estão ensinando o caminho. Os exemplos dos Prefeitos do Piauí e de Minas Gerais bem que poderiam ser seguidos pelo Estado e pela Presidência da República. Fazer sacrifício e cortar despesas não é fácil, mas é o meio mais seguro e honesto de equilibrar as contas públicas.