Cidadeverde.com

O pior verão dos últimos anos


A constante reclamação dos piauienses acerca do calor sofrido nas últimas semanas não é sem razão. Segundo os meteorologistas, estamos enfrentando um das manifestaçõe mais intensas do temido El Nino, o fenômeno provocado pelo aquecimento das águas do oceano Pacífico, que leva a extremos de chuvas intensas em algumas regiões, combinadas com seca severa em outras.


É justamente o que está acontecendo este ano no Brasil. Enquanto o Rio Grande do Sul vem sendo castigado por chuvas acima da média, provocando alagamentos e desabamentos, o Nordeste enfrenta uma das piores secas, talvez comparada à de 1997, outro ano de forte manifestação do El Nino.

O mês de outubro tem se revelado especialmente quente, com temperaturas que batem os 40° C. Mas ainda não é o pior. A se confirmarem as previsões meteorológicas, a temperatura pode elevar-se ainda 4°C acima da média. Uma previsão, no mínimo, catastrófica para os piauienses que já sofrem demasiadamente com o calor sufocante. O que se tem visto ultimamente são pessoas procurando, de toda forma, abrigar-se do sol inclemente. O clima está tão seco que os focos de incêndio se multiplicam pela cidade de Teresina, o que tem dado muito trabalho aos bombeiros.


O El Nino acontece regularmente em um intervalo de 4 anos. Portanto, de certa forma, já é previsível. Além do mais, Teresina já é naturalmente quente por conta da proximidade com a linha do Equador. O que se deve fazer, além de ficar reclamando inutilmente do calor, é procurar construir uma cidade capaz de conviver com esta realidade que nos impõe altíssimas temperaturas.


Para uma convivência suportável com o clima que só tende a piorar, por conta do aquecimento global, precisamos pensar em uma arquitetura voltada para aproveitamento de água, com ventilação adequada e uso de materiais que diminuam a retenção do calor. E nos nossos espaços públicos muito, muito verde e água para tentar amenizar as tórridas temperaturas de Teresina. O plantio de árvores é responsabilidade do Poder Público, mas também de cada cidadão que deseja uma cidade melhor para viver.