Cidadeverde.com

O CUSTO DE EMPREENDER NO BRASIL


A Revista VEJA desta semana traz uma extensa e detalhada reportagem sobre o peso nefasto da burocracia no Brasil e como ela afeta a vida dos empreendedores, categoria que promove o crescimento do país, gerando empregos e pagando impostos cada vez mais altos. O tempo e a energia dispendidos por quem quer investir no Brasil é um verdadeiro desestímulo ao desenvolvimento. 


Não bastasse uma legislação complicada, há ainda a insegurança jurídica. Os empresários não têm a garantia de seus direitos e a lei muda de acordo com os humores do Planalto. Resultado: os empreendedores ficam receosos de ousar na ampliação de suas empresas, o que tem levado alguns deles a estenderem seus negócios para os Estados Unidos.


A migração para o país norte-americano tem sua razão de ser. O empresário carioca Fernando Campos levou seis meses para abrir um negócio de e-commerce aqui no Brasil, onde pagará três impostos que somam 14%. Em Miami, a mesma empresa foi aberta em 48 horas e ele recolherá apenas um imposto de  6%. A comparação é desproporcional.


Nem mesmo dentro do Brasil, há uniformidade com relação à cobrança de taxas ou à  dificuldade para abrir uma empresa. O país é um só, mas como as realidades são distintas! Ainda segundo a pesquisa realizada pela Endeavor, e divulgada por VEJA, a alíquota média do IPTU ( Imposto Predial e Territorial Urbano) pode variar de 0,39, no caso de Vitória (ES), a 3,50, em Blumenau(SC). Aqui em Teresina, o percentual médio do valor venal do imóvel é de 1,18.


O tempo gasto para a regularização do imóvel também é muito diferente, dependendo da cidade onde se mora. Em Campinas (SP), onde gasta-se o menor tempo para essa atividade, ainda perde-se 94 dias, ou mais de três meses. No outro extremo, está Natal (RN), com 241 dias. Em Teresina, o tempo médio é de 161 dias.


E para abrir uma empresa? Aquela mesma que em Miami leva apenas 48h, pode levar até 304 dias se for em Caxias do Sul (RS), por exemplo. Em Teresina são 110 dias. É realmente um esforço de obstinação e persistência para quem quer investir no Brasil.