Cidadeverde.com

2016 já vai nascer mais caro

Os meteorologistas preveem que o Fenômeno El Niño deve se estender até março do próximo ano, provocando diminuição na quantidade e intensidade de chuvas e elevando as temperaturas ainda mais. Nada animador para quem já sofre com o calor intenso em todo o estado do Piauí. Pois não bastasse essa notícia, uma outra nos chega para trazer  mais desconforto a todos nós, piauienses: as contas de energia elétrica devem sofrer um reajuste médio de 4,6% em 2016.


A correlação é imediata. Com o aumento da temperatura, aumenta também o consumo de energia. Se a conta vai subir, significa que o consumidor vai gastar bem mais do que já gasta com um bem que é essencial e indispensável. E aqui, com um agravante: o serviço pestado é de baixa qualidade.


Agora mesmo, a associação de bares e restaurantes de Teresina se prepara para entrar com uma ação contra a Eletrobrás por conta dos prejuízos quase diários causados pela falta ou oscilação de energia. Nesta época de fim de ano, quando esse segmento mais fatura com as confraternizações, as perdas provocadas pelos apagões constantes têm tirado a alegria dos empresários. Sem energia, os restaurantes ficam no escuro, no calor, as bebidas não gelam e os clientes, claro, vão embora.


A inflação chegou a dezembro na casa dos dois dígitos. Mais aumentos virão a partir de janeiro, a começar pelo salário mínimo, que passará a valer R$ 871. E com ele, uma cascata de novos reajustes se espalha pela cadeia produtiva. Os economistas, sempre prudentes, recomendam cautela nos gastos e, se possível, poupança de até 20% do valor do salário. Mas, nas atuais circunstâncias, fechar as contas no final do mês, pra quem ainda conseguiu manter o emprego, já é um luxo. Poupar, então, tornou-se um sonho cada vez mais distante.