Cidadeverde.com

Teresina é a 30ª cidade mais violenta do mundo


A pesquisa realizada por uma ONG do México veio confirmar em números a percepção que os teresinenses já sentem no seu cotidiano.Teresina foi apontada como a 30ª cidade mais violenta do mundo, em um ranking internacional baseado nas taxas de homicídio de 2015. A lista leva em conta o número de homicídios por 100 mil habitantes em cidades com população superior a 300 mil habitantes. Teresina registrou um índice de 42,64 homicídios por 100 mil habitantes.


O Brasil não é um país que vive os horrores da guerra civil, mas é o que figura com o maior número de cidades entre as mais violentas. Triste título que o país apresenta justamente no ano da realização das olimpíadas, que deve atrair atletas e turistas do mundo inteiro. É bom destacar que a lista não inclui países que vivem em guerra declarada, como Síria e Iraque. Ou seja, nossa violência "doméstica" não tem razões políticas ou étnicas. Ela se sustenta em assaltos, assassinatos e sequestros, palavras que se tornaram comum para a maioria dos brasileiros.


Infelizmente, essa realidade também passou a fazer parte da vida dos teresinenses. Atualmente, os moradores da capital piauiense vivem com medo de entrar para a lista das vítimas do crime, que não para de crescer. Ontem mesmo, uma jovem foi sequestrada quando saía de casa, na zona leste da cidade. Os bandidos a levaram dentro do carro e, por ironia do destino, sua sorte foi que eles bateram o carro em um poste, abandonando a vítima, que teve ferimentos leves.


A situação ficou grave. É difícil encontrar alguém que não tenha sido vítima de algum tipo de abordagem criminosa, independente do horário ou local em que esteja, pois já não há mais tempo ou espaço seguro. Teresina aparece como uma cidade mais perigosa até do que Recife-PE. A Polícia Militar se ressente da quantidade de vezes que prende a mesma pessoa que, libertada poucos dias após a prisão, volta às ruas para praticar novos crimes, de forma ainda mais violenta. Há alguma coisa errada no sistema judiciário que  permite a reincidência de atos criminosos por duas, três, quatro, cinco vezes. Com o beneplácito da impunidade, os bandidos sentem-se inteiramente à vontade para agir, deixando os cidadãos apavorados.