Cidadeverde.com

Pacientes estão sem fisioterapia no Lineu Araújo


Há dois meses, o serviço de fisioterapia do Lineu Araújo está parado, deixando cerca de 80 pacientes por dia sem atendimento. Tudo por causa de uma simples reforma onde é realizado o serviço. A obra foi iniciada em dezembro do ano passado e deveria demorar 15 dias. Coisa simples. No entanto, vem se arrastando até agora.


A fisioterapia é um serviço muito procurado no Centro. Lá, quatro profissionais se revezam em dois turnos, com atendimento de 7h às 17h. Um deles, Humberto Lima, explicou que nem tem como encaminhar os pacientes para outros centros porque é difícil conseguir vaga. De fato, com um número crescente de acidentes envolvendo carros e motocicletas, o número de sequelados que precisam de fisioterapia só aumenta. Isso, sem falar das sequelas decorrentes de doenças naturais.


Mas a demora inexplicável para a conclusão da reforma de uma sala não é o único problema enfrentado pelos fisioterapeutas e seus pacientes. Segundo o próprio Humberto, os aparelhos também estão funcionando precariamente, o que dificulta o trabalho executado por eles.


O setor público é pródigo na lentidão com que executa suas obras, seja por excesso de burocracia ou por falta de recursos. O fato é que, no final das contas, o prejuízo maior fica por conta de quem mais precisa. Gente que não pode pagar por um plano de saúde privado e vê-se obrigada a submeter-se ao ritmo sem pressa com que as coisas acontecem nesse setor.


Questionada sobre a demora na obra de reforma da sala de fisioterapia do Lineu Araújo, a gerência de engenharia da Fundação Hospitalar de Teresina informou que ela deve ser concluída em 30 dias.