Cidadeverde.com

STF retira delegação do cartório Naila Bucar

A decisão anunciada ontem pelo Supremo Tribunal Federal, do fim da delegação do Cartório Naila Bucar à herdeira Lysia Bucar, surge como uma luz no extenso e sombrio túnel dos serviços cartorários em Teresina. Há muito, os cidadãos reclamam da péssima qualidade dos serviços prestados nos cartórios. Além de pagar caro, o cliente é mal atendido e ainda perde boa parte do seu dia em filas de espera que parecem intermináveis.

Como o número de cartórios é limitado, não há muito o que fazer e o cidadão acaba mesmo virando refém de um serviço obsoleto, que parece ter parado no tempo e no espaço. Na era da comunicação eletrônica, do atendimento bancário via internet, do uber e de outras facilidades colocadas à disposição dos brasileiros, os cartórios resistem bravamente em castas fechadas. E, talvez por isso mesmo, não sintam necessidade de se modernizarem, o que atrasa, e muito, a vida de quem precisa deles.

É bem verdade que, com  a Constituição de 1988, ficou estabelecido que o ingresso ou a movimentação dos titulares de cartórios deve ocorrer por meio de concurso público, a ser realizado pelo Tribunal de Justiça dos Estados. Mas aqui no Piauí, inexplicavelmente, o tal concurso se arrasta desde o ano de 2013.

O que toda a população espera é a modernização desse serviço para que possa oferecer um bom atendimento a um preço justo. Também já está mais do que na hora da descentralização dos cartórios para que os clientes possam contar com esse tipo de serviço nas diversas áreas da cidade e não apenas no centro. Que este seja o começo de um novo tempo.