Cidadeverde.com

Governo prepara leilão da Eletrobrás

O Ministério das Minas e Energia admitiu publicamente o que a população piauiense já percebeu há muito tempo: a Eletrobrás está em situação insustentável. A avaliação do Ministério não se refere apenas à distribuidora do Piauí, mas à todo o Brasil. A empresa enfrenta prejuízos desde 2012 e está praticamente em situação de insolvência.

O reflexo dessa crise pode ser sentido na péssima qualidade do serviço prestado aos consumidores. Aqui no Piauí, as oscilações de energia são constantes. Muitos empresários viram-se obrigados a fazer um investimento extra para comprar geradores, a fim de poderem continuar trabalhando sem interrupção. Os prejuízos acumulados por falta de energia são muitos. E a população já não sabe mais a quem recorrer.

O discurso da Eletrobrás Piauí é o mesmo do Ministério das Minas e Energia. A alegação é de que a empresa também acumula perdas financeiras em decorrência dos altos índices de inadimplência, associados aos furtos e perdas de energia. Também é verdade. As ligações clandestinas são comuns nas periferias, enquanto nas chamadas “zonas nobres” entra em cena o famoso “gato”, uma forma de roubar energia e deixar de pagar a conta devida.

O Ministro Fernando Coelho Filho já fala em venda de ativos da companhia. A primeira distribuidora a ir a leilão deve ser a de Goiás, mas as do Nordeste, todas deficitárias, também devem ter o mesmo destino. Independente da solução, o que a população quer mesmo é ter um serviço compatível com o valor da tarifa paga no final do mês.