Cidadeverde.com

É possível reduzir o calor de Teresina

Neste período mais quente do ano, que coincide justamente com a campanha eleitoral, é bom prestar atenção no que os candidatos estão propondo para melhorar a convivência da população com o clima quente e seco, com termômetros batendo à casa dos 40° C. O calor de Teresina está chegando ao nível do insuportável.

Como não é possível mudar a cidade de lugar, localizada muito próxima à linha do Equador, o que explica a maior incidência dos raios solares e, consequentemente, as temperaturas mais elevadas, o jeito é procurar soluções que amenizem o calor. E, para isso, não são necessárias medidas  mirabolantes.

Os estudos técnicos apontam que as ilhas de calor formadas nos grandes centros urbanos são acentuadas por conta da pequena proporção de áreas verdes, conjugadas com o crescimento da utilização de materiais como o concreto e o asfalto. Além de provocar a impermeabilização do solo, esses materiais intensificam o calor na cidade, agravado ainda pela poluição atmosférica oriunda dos carros e motocicletas.

Uma das soluções apontadas pelos estudiosos do clima é diminuir a emissão de poluentes atmosféricos, o que, pelo menos aqui, parece cada vez mais distante, visto que o número de novos veículos circulando nas ruas cresce a cada ano. A outra medida, bem mais fácil de ser implantada, é o plantio de árvores e a preservação de áreas verdes. “A cobertura vegetal, com capacidade natural de refletir e absorver uma parte do calor vindo da radiação solar também pode ser uma ótima alternativa”, diz o estudo.

Outras soluções para amenizar os efeitos causadores das ilhas de calor urbano envolvem a utilização de materiais de construção com menor capacidade de reter calor e métodos de construção como telhados verdes ( alguém aí lembrou do ex-governador Alberto Silva?) e construções que utilizem cores claras.

Como se vê, não é coisa do outro mundo. Portanto, vamos cobrar dos nossos candidatos a prefeito que assumam o compromisso de trabalhar por uma Teresina de clima mais ameno. A continuar nesse ritmo, a cidade irá se transformar em um deserto urbano dentro de menos tempo do que se possa imaginar.