Cidadeverde.com

Motoristas da Uber denunciam agressão dos taxistas

Motoristas que trabalham para o aplicativo Uber em Teresina denunciam que foram vítimas de uma emboscada armada pelos taxistas da cidade, com ameaças de agressão física e danos aos veículos. Desde que a Uber comunicou que iria operar em Teresina, os taxistas começaram a se manifestar contrariamente à vinda dessa nova modalidade de transporte. A mesma reação negativa já aconteceu, e ainda acontece, em outras cidades brasileiras onde a Uber já opera.

É lastimável que, em vez de se adaptarem aos novos tempos, melhorando a qualidade do próprio serviço para competir em pé de igualdade com os motoristas da Uber, os taxistas prefiram se comportar de forma agressiva e atrasada. Quando a onda da modernidade chega, não adianta querer remar contra a maré.

Em uma economia de mercado é o cliente quem decide qual produto ou serviço quer adquirir, levando em conta critérios como qualidade, preço, eficiência. E no mundo inteiro, assim também como no Brasil, os clientes estão optando pela Uber porque o serviço és eguro, justo, confortável e bem mais barato.

O poder público tomou o partido dos taxistas e criou todo tipo de dificuldade para o funcionamento da Uber, seguindo a mesma linha de velejar contra o vento. Até agora, ninguém se preocupou em consultar o distinto público pagante sobre a preferência dele.

O certo é que quanto mais houver violência de um lado, mais o consumidor vai se afastar dele.  A Uber é irreversível. Cabe ao poder público legitimar o seu funcionamento e cobrar o que achar devido. O resto é com o freguês.