Cidadeverde.com

Expedição constata degradação dos rios piauienses

A poluição e o assoreamento que estão matando os rios Poty e Parnaíba, nosso maior patrimônio natural, tornaram-se alvo da preocupação da OAB-PI e CREA. Em expedição náutica realizada por integrantes das duas entidades ontem, advogados e engenheiros constataram o que há muito vem sendo denunciado pela imprensa e por ambientalistas: os rios estão sendo sufocados pela uso abusivo de dragas, despejo de esgotos sem tratamento nos seus leitos e assentamentos em suas margens.

A água é um bem essencial, mas nem todos parecem ter essa consciência e tratam os rios como se fossem aterros sanitários. A caravana formada pelo CREA e OAB ficou impressionada com a quantidade de lixo boiando nas águas, especialmente garrafas pet. O plástico, como se sabe, demora cem anos para ser degradado.

Teresina, apesar do clima hostil, com temperaturas que batem facilmente a casa dos 40°C, tem o privilégio de contar com dois rios em sua área urbana e, mais, ainda pode assistir ao encontro dos dois dentro do seu território. Mas, em vez de orgulhar-se desse presente da natureza e tratá-lo com carinho, vem destruindo-o em velocidade alarmante.

Mal termina a estação chuvosa, e os bancos de areia começam a tomar conta do leito. Os pescadores queixam-se de que já não há mais peixes para a pesca, a atividade que, antes, garantia-lhes o sustento. No entanto, nada, ou muito pouco, é feito para salvar os rios.

Recuperar os rios é possível e o mundo  inteiro dá exemplos nesse sentido, como o caso de Londres que, não só despoluiu o Tâmisa, como tornou-o uma atração turística, com passeios de barco ao longo do seu curso. Não podemos ser ingênuos de achar que a recuperação do Parnaíba e do Poty se dará da noite para o dia, mas é preciso que o primeiro passo seja dado, e com urgência.