Cidadeverde.com

Novo julgamento do caso Abraão Gomes deve acontecer em abril

Um dos crimes mais conhecidos e ruidosos do Piauí foi o assassinato do deputado Abraão Gomes, na porta da casa dele, na zona leste de Teresina, no dia 29 de agosto de 1989. O acusado de mandar matar o deputado é o advogado Virgílio Bacelar, então adversário político do deputado na cidade de Porto. Entre as provas que constam no processo contra o advogado estão o comprovante de depósito no valor de 100 mil cruzeiros reais ( moeda da época) e a confissão do senhor Alcides, um dos executores do crime, que, posteriormente, negou a primeira versão apresentada aos promotores do caso. 

Depois de quase vinte e oito anos, o processo ainda tramita na justiça. O primeiro julgamento foi anulado porque houve coação dos jurados, segundo concluiu o Tribunal de Justiça. O caso deveria ir a julgamento novamente hoje, mas, por decisão do desembargador Sebastião Ribeiro Martins, o julgamento foi adiado. Decisão revista, depois, pelo próprio desembargador, ao descobrir que o caso estava próximo de prescrever ( o que deve acontecer no dia 27 de maio deste ano).

Só que ao revogar a suspensão, a convocação dos jurados já havia sido desfeita e o juiz responsável pelo caso, Antônio Noleto, explicou que não daria mais tempo para remarcar para hoje porque ele precisa recompor o júri novamente.  

O caso é tão complexo que já dura quase três décadas sem que haja um julgamento definitivo. A família do ex-deputado segue inconformada ao longo de todo esse tempo esperando uma decisão da justiça para tentar reparar a dor da perda do líder. Eles lembram que o goleiro Bruno, acusado de matar a modelo Eliza Samudio, foi solto recentemente por causa de uma uma dessas lacunas de tempo que terminam beneficiando o acusado.

O advogado do deputado Abraão Gomes revelou que a expectativa agora é que o processo seja julgado na segunda quinzena de abril. Até lá, o acusado continua em liberdade.