Cidadeverde.com

Desperdício de dinheiro público

O relatório divulgado ontem pelo Banco Mundial sobre os gastos públicos brasileiros explicam por que ainda estamos tão atrasados, se comparados aos países desenvolvidos. O Banco mostrou em números o que todos os brasileiros minimamente informados já sabem. O país gasta muito e gasta mal seus recursos.

Isso ajuda a perpetuar a desigualdade social, gerando injustiça, em vez de progresso, como prega nossa bandeira. Há dois anos, o Brasil gasta mais do que arrecada, o equivalente a 8% do PIB. A previdência social é um gargalo que só ajuda a aprofundar o déficit público. E ela privilegia os mais ricos. Segundo o relatório, os 20% mais ricos ficam com 35% do que é pago, enquanto os 40% mais pobres recebem apenas 18%.

Máquina Enferrujada

Os governos, em todas as esferas, gastam muito dinheiro simplesmente para manter a máquina pública funcionando. Com isso, acaba faltando dinheiro para as atividades fins: manter uma boa rede de saúde funcionando, escolas com alto nível de eficácia no ensino, segurança aos cidadãos e obras de infraestrutura que promovam o crescimento da economia.

O que se vê é uma cascata de privilégios no legislativo, no judiciário e em  algumas categorias do executivo. Tem sentido, por exemplo, pagar auxílio moradia para quem possui casa própria na mesma cidade onde exerce suas atividades? Pois é, o governo acha que sim e mantém, não só esse, mas outros penduricalhos que oneram a folha de pagamento.

 

Multiplicação das Secretarias

Aqui no Piauí não é diferente. Para acomodar os aliados políticos e formar uma rede de sustentação folgada que garanta a sua reeleição, o governador criou nove coordenadorias. Além das outras três que já havia criado anteriormente. A maioria delas tem funções sobrepostas à das secretarias. Na Assembleia Legislativa, o Estado paga o custo de catorze suplentes de deputados.

No município, também há inchaço da máquina. Muitas das secretarias existentes hoje poderiam ser suprimidas sem nenhum prejuízo à população. Ao contrário, dariam uma boa ajuda na economia dos cofres públicos. Mas enquanto o projeto político for maior que o administrativo, iremos assistir ao desperdício do dinheiro público.