Cidadeverde.com

Secretaria de Saúde responde a denúncia sobre Hospital do Mocambinho

Sobre a denúncia publicada ontem, neste espaço, com relação às instalações físicas do Hospital do Mocambinho, a Secretaria de Saúde do Estado, encaminhou os seguintes esclarecimentos:

"Apesar da diversidade dos serviços oferecidos pelo Hospital do Mocambinho, o perfil da unidade é atender uma demanda de usuários dependentes químicos, na assistência voltada para a reabilitação e cuidados mentais. Por conta disso, é preciso compreender o quadro de saúde e o processo de assistência, que pode levar a comportamentos agressivos. 

 

Por se tratar de pacientes que, muitas vezes, têm distúrbios mentais, em consequência do uso de álcool e outras drogas, as crises de abstinência são frequentes, que levam a um quadro de agitação, estresse e descontrole. Daí é comum a agressividade, que o levam a quebrar objetos, danificando pias, torneiras e colchões, que são repostos de acordo com o planejamento financeiro e obedecendo aos trâmites burocráticos da gestão pública.

 

Outro comportamento típico dos pacientes é a busca incessante por drogas. Apesar dos esforços de toda equipe administrativa e de saúde, os pacientes ainda conseguem recebê-las dos visitantes. Para mantê-las na unidade, as drogas são escondidas nos colchões e, para recuperá-las, os mesmos são rasgados e danificados. 

 

Há de se observar que o Hospital é uma unidade assistencial, com atendimento multiprofissional, e não uma casa de custódia. Sendo assim, o paciente, acompanhante e visitante não são permanentemente vigiados e monitorados, inclusive não sendo permitida a revista íntima. Ali, o paciente está por livre e espontânea vontade e não de forma compulsória.

 

Sobre a qualidade d´água, esclarece-se que laudo emitido pela Prefeitura de Teresina, por meio de parecer 26/2016, da Fundação Municipal de Saúde/VigiÁgua, atesta a qualidade da água, com indicadores satisfatórios para o consumo humano. E que a água originária do poço é para limpeza e manutenção da unidade e em nenhuma circunstância é recomendada o seu uso para outras finalidades. 

 

Os cuidados com a unidade são intensificados e permanentes, também em relação à Vigilância Sanitária, onde relatórios atualizados de 2017 atestam a qualidade na assistência aos pacientes. Os pontos não satisfatórios são prontamente corrigidos para que não haja qualquer prejuízo no tratamento do paciente. 

 

Reconhecemos que temos que avançar muito na qualificação do serviço, mas deve ser reconhecido que esta é a única unidade hospitalar que atende aos pacientes AD, pelo Sistema Único de Saúde(SUS), no Piauí.