Cidadeverde.com

Ciro Nogueira diz não ter dúvida sobre a presença de Firmino no palanque do PP

O senador Ciro Nogueira ( PP) é hoje o líder de maior expressão política do Piauí. Circula com desenvoltura nos dois principais palácios do estado: o do Karnak e o da Cidade, até porque tem se mostrado o fiador dos recursos obtidos junto ao governo federal tanto para o governo de Welliington Dias quanto para o de Firmino Filho, além de contar com o apoio de uma quantidade considerável de prefeitos. Como presidente nacional do PP, tem demonstrado força em Brasília e obtido financiamentos imprescindíveis para o Piauí em um momento de crise, quando o dinheiro público é mais  escasso que o de costume.

Mas ele quer mais, muito mais. Depois de conseguir a filiação de três tucanos diretamente ligados ao prefeito Firmino Filho (a primeira-dama, Lucy Silveira, o ex-prefeito Sílvio Mendes e o ex-secretário de planejamento, Washington Bonfim), Ciro quer atrair agora o próprio prefeito. E considera que, para isso acontecer, é só uma questão de tempo. Foi o que deixou claro na entrevista a esse blog, concedida em sua casa, na zona leste da capital.

CB – O senhor acha que há chance de puxar o prefeito Firmino Filho para o palanque do governador Welliington Dias, mesmo com um candidato do PSDB à sucessão estadual?

CN – Não tenha dúvida. O Firmino talvez seja hoje o político mais ligado a mim, pela experiência que nós tivemos de estarmos juntos trabalhando por Teresina, que fez surgir um efeito fantástico. Eu tenho uma aproximação pessoal com ele, minha esposa com a esposa dele. São pessoas que nos frequentam para conversas não apenas sobre política. Então, eu gostaria muito de tê-lo ao meu lado. Eu tenho certeza absoluta que o Firmino ainda vai ser membro do Partido Progressista, eu não tenho nem dúvida quanto a isso.

CB – O senhor prevê esse cenário já para a eleição de 2018?
CN – Eu acho, eu acho. Estou trabalhando para isso.

CB – Há rumores até de que o PP poderia indicar a primeira-dama, Lucy Silveira, para disputar a vaga de vice-governadora e, assim, segurar, de vez, o Prefeito Firmino Filho na campanha do Governador Wellington Dias. O senhor confirma?
CN – A Lucy tem competência para disputar qualquer cargo: deputada estadual, deputada federal, vice-governadora. Eu só acho que, nesse atual momento, já que tem uma mulher do próprio partido dela, como a Margareth, qualquer arranjo desse aí vai passar para o eleitor que nós estamos fazendo uma acomodação política, que as pessoas não aplaudem. Então, não tem por que isso acontecer. Se o Firmino vier é porque acredita no projeto do Wellington e vai ajudá-lo na Prefeitura de Teresina.

CB – O presidente da FMS, Sílvio Mendes, embora filiado ao PP, já declarou publicamente o apoio ao pré-candidato do PSDB, Luciano Nunes. Isso causou algum desconforto dentro do partido?
CN – De jeito nenhum. O Sílvio é uma figura que nós jamais iríamos forçá-lo a coisa alguma. Ele tem uma ligação até de afetividade com o Luciano. Ele tem total liberdade. Ainda tenho a esperança de ele ser candidato a deputado federal pelo PP. A sua relação com o Luciano é muito maior do que isso.
Procurado, o Prefeito Firmino Filho disse que prefere aguardar as ‘águas de abril’, postergando o quanto pode essa discussão que, segundo ele, só atrapalha a administração pública.