Cidadeverde.com

Rede de Controle manifesta preocupação com recursos do SUS

Um documento assinado pela Rede de controle da Gestão Pública no Piauí, esta semana, chamou a atenção pelo que está escrito, mas,  principalmente, pelo que deixou de ser dito e ficou apenas subtendido nas entrelinhas. É notória a preocupação com os recursos destinados à saúde pública em todo o Brasil. Ainda ontem, a Polícia Federal desencadeou uma operação em Minas Gerais para apurar fraudes em processos de licitação e desvios de dinheiro público em campanhas contra dengue e gripe.

O documento assinado pelos integrantes da Rede de Controle no Piauí, a princípio, trata-se apenas de uma moção de apoio e reconhecimento ao ex-Chefe da Seção de Auditoria do Denasus no Piauí, Carlos Eduardo Viana Santos, que acaba de deixar o cargo, em uma “inesperada exoneração”, segundo diz o texto.

Mais adiante, os controladores insistem que a Rede deve atuar de forma independente e imparcial, não sendo aceita qualquer interferência em sentido contrário.  Como o ex-chefe é aclamado na mesma carta por sua “destemida atuação na prevenção e no combate à corrupção no SUS”, não é preciso muito esforço para entender que o mesmo vinha sofrendo pressão para “aliviar” a implacável postura no combate ao desvio de recursos na área.

O documento finaliza com a seguinte advertência: “ A Rede de Controle do Piauí se une em torno de cada um dos seus integrantes que lutam por uma sociedade mais justa, solidária e democrática, na certeza de que continuará a desempenhar seu dever pautado, tão somente, pelo interesse público e daqueles que necessitam do SUS”. A quem interessaria afastar um auditor rigoroso e exigente no controle das contas do SUS? O auditor funciona como os olhos da população sobre o destino dos recursos públicos. Qualquer ameaça ou pressão contra sua atuação é um atentado contra a própria sociedade, especialmente aquela banda da sociedade mais necessitada e carente, que depende dos serviços públicos.