Cidadeverde.com

Projeto Les Girls resgata história do teatro de revista no Brasil

Safira Benguell,  a primeira transformista piauiense, que chegou a conquistar espaço nacional e internacional, está fazendo 60 anos de vida e 30 de ativismo cultural. Depois de vencer inúmeras barreiras, a começar dentro da própria família, José Alberto Bringel de Sousa, depois reconhecida oficialmente como Safira, conquistou o mundo. Viveu dez anos absorvendo a efervescência cultural do eixo Rio/São Paulo, atuando em teatros e casas noturnas, até que decidiu embarcar em busca de voos mais distantes. Foi assim que partiu rumo à Europa, onde morou 25 anos, a maior parte deles na Itália, onde casou.

Para relembrar parte dessa história, cheia de percalços e alegrias, Safira Benguell está preparando um grande espetáculo , que deve estrear no mês de maio no Teatro 4 de Setembro, intitulado “ 60 Anos de Safira Benguell”.  O musical faz uma retrospectiva das apresentações nos teatros de revista pelos transformistas brasileiros. E Safira tem muito o que contar e mostrar. Ela já encenou Maria Alcina e foi dirigida pela grande diva, Bibi Ferreira, no espetáculo Gay Fantasy, em São Paulo.

Está previsto ainda pare este ano o lançamento de um livro de fotos, intitulado Persone, com fotos de transformistas do mundo inteiro. Tanto o livro quanto o espetáculo fazem parte de um projeto maior, chamado Les Girls. Um ano, definitivamente, agitado para quem, como Safira, sempre fez da vida uma festa, com todas as pedras e brilhos a que tem direito. Uma história de lutas e fantasias.