Cidadeverde.com

Vai e vem de políticos aquece a campanha eleitoral

Com a proximidade das eleições, e o acirramento das disputas políticas em âmbito local, cresce o movimento de aeronaves  oficiais trazendo autoridades do Planalto. Cada uma com seu padrinho como cicerone para mostrar ao Piauí quem tem força e prestígio em Brasília.

Amanhã, o Presidente Michel Temer irá visitar as obras do projeto Tabuleiros Litorâneos, em Parnaíba, a convite do deputado federal Heráclito Fortes, do Dem. Será recepcionado pelo prefeito Mão Santa. A visita de um Presidente da República, ainda que com baixíssimo índice de aprovação e popularidade, não deixa de ser uma demonstração de prestígio.

Na sequência, o senador Ciro Nogueira (PP), que também circula com extrema desenvoltura no Planalto, já anuncia a vinda do Ministro da Saúde, Gilberto Ochhi, para visitar obras no estado.  Ciro e Heráclito, como se sabe, são adversários ferrenhos na política local. Os dois, no entanto, inegavelmente, sabem se posicionar estrategicamente nos gabinetes do poder central.

Mas, o que a população espera e deseja, é que, mais que o simples movimento de aeronaves e seus assessores, com toda a despesa que eles acarretam, as visitas de ministros e até do presidente resultem, de fato, em investimentos que promovam o desenvolvimento do Estado.

 

Mais uma desistência

O pré-candidato ao Senado pelo Partido Verde, Luiz Ayrton Santos Júnior, foi mais um que desistiu de concorrer ao pleito deste ano. Depois de anunciar sua disposição de disputar uma vaga para o Senado, o médico divulgou uma carta, comunicando que estava abrindo mão desse projeto.

Em um trecho do documento, Luiz Ayrton explica que abraçar a eleição para o Senado estava ligado ao seu propósito de trabalhar pela construção de um Piauí grande. Mas, segundo ele: “Nos últimos dias delineiam dificuldades e, desta forma, estou declinando desta caminhada.”

O médico Luiz Ayrton iria integrar a chapa encabeçada pelo Senador Elmano Férrer ( Podemos), que também jogou a toalha e desistiu de concorrer ao governo do Estado.