Cidadeverde.com

Escolas do município já foram assaltadas mais de 80 vezes este ano

Ontem, mais uma vez, repetiu-se o inadmissível. Um bandido armado invadiu o CMEI Ariano Suassuna, na zona sul de Teresina, e fez um arrastão na frente de crianças pequenas. Na saída, ainda disparou alguns tiros, causando pânico e terror entre os funcionários da escola. A violência no Piauí, e mais especificamente na capital, já passou de todos os limites do suportável. Só este ano, já foram 83 ocorrências nas escolas da rede municipal. Tirando os meses de janeiro e julho, que correspondem às férias, é uma média de 16 ocorrências por mês.

Como os alunos podem aprender em um clima de tamanha insegurança? Ao voltarem para casa, em vez da lembrança dos mestres e seus ensinamentos, as crianças guardam  cenas de pavor atormentando-lhes a cabeça. Houve um tempo em que os pais sentiam-se absolutamente seguros depois que deixavam seus filhos na escola. Lá, eles estariam protegidos da violência das ruas e ainda estariam aprendendo para conquistarem um futuro melhor.

Hoje, de nada adianta o investimento feito em educação, em prédios confortáveis para receber os alunos, na capacitação de professores ou em recursos pedagógicos, se eles não podem ser aplicados com a tranquilidade e a segurança que o processo de aprendizagem exige.

A segurança pública deixou de ser uma ação concreta no estado para tornar-se um sonho cada vez mais distante dos piauienses. A violência está nas ruas, diariamente, a qualquer hora do dia e da noite, e também dentro dos estabelecimentos de ensino. Como a educação é a única forma honesta de vencer o ciclo da pobreza e garantir perspectivas de uma vida digna, quando bandidos assaltam escolas, na verdade, eles estão roubando o futuro de uma geração.