Cidadeverde.com

Como a pesquisa eleitoral afeta o preço do pão

Ontem, mais uma vez, em uma sequência que se repete desde a semana passada, a cotação do dólar aumentou e a moeda americana chegou a ser vendida a R$ 4,21 nas casas de câmbio. O dólar comercial estava sendo comercializado a R$ 4,028, mas o valor do dólar turismo é sempre mais alto. Em outra mão, o índice da bolsa de valores Ibovespa caiu 1,51%.

A reação do mercado é explicada pelos números da pesquisa eleitoral divulgada pelo Ibope para presidente da República. Diante do cenário apresentado, os investidores ficam receosos quanto ao futuro econômico do país porque não identificam entre os candidatos mais bem posicionados um compromisso com as reformas necessárias para fortalecer a economia.

O PT de Lula e o candidato Jair Bolsonaro (PSL) , os dois que se apresentam com larga vantagem até o momento, assustam o mercado. Com eles, o cenário é de incerteza e, por isso, a fuga de capitais que sacudiu a bolsa ontem.

Os economistas e analistas apontam para a necessidade de regras claras para a economia, com a diminuição dos gastos públicos, as imprescindíveis reformas tributária e da previdência e o aumento dos investimentos em infraestrutura.  Os candidatos mais alinhados a essas propostas, como o tucano Geraldo Alckmin, Álvaro Dias (PV), João Amoedo (Novo) ou o próprio Henrique Meireles (MDB) ainda não decolaram nas pesquisas, o que deixa o capital estrangeiro receoso.

Mas como a propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão só começa no dia 31 de agosto, pode ser que, após essa data, haja alguma alteração no cenário que modifique o humor do mercado. É bom lembrar que, quando o dólar sobe, vários produtos atrelados à moeda americana também sobem de preço, entre eles o trigo, que garante o nosso pão de cada dia.