Cidadeverde.com

Bolsonaro sofre segundo golpe

O escândalo do dia recai sobre a rumorosa separação do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, líder nas pesquisas para a Presidência da República, e Ana Cristina Siqueira Valle. Depois que a ex-mulher negou a reportagem publicada pela Folha de São Paulo sobre o pedido de proteção ao Itamaraty por conta das ameaças que vinha sofrendo de Bolsonaro, a Revista Veja traz agora o conteúdo de todo o processo litigioso, que inclui acusações gravíssimas, inclusive a do furto de um cofre no Banco do Brasil.

Segundo consta no processo, a ex-mulher acusa o atual candidato a Presidente de ter furtado jóias avaliadas em R$ 600 mil e mais de R$ 200 mil em dinheiro vivo de um cofre que ela mantinha no Banco do Brasil. O fato teria se dado em outubro de 2007 e foi registrado em um Boletim de Ocorrência na 5ª Delegacia de Polícia Civil.

Ana Cristina, ainda no mesmo documento, também  acusa o ex-marido de ocultar uma pequena fortuna em patrimônio pessoal na prestação de contas à Justiça Eleitoral em 2006, quando ele disputou uma vaga à Câmara Federal, para a qual foi eleito.

Os documentos em poder do Itamaraty já publicados pela imprensa davam conta que ela sofria ameaças e que Bolsonaro agia com “desmedida agressividade” contra a ex-mulher. Atualmente, Ana Cristina disputa uma vaga para a Câmara Federal valendo-se do sobrenome Bolsonaro, e diz que exagerou nas acusações durante o período da separação. Mas os detalhes contidos no processo são um golpe, talvez mais profundo que o primeiro, sofrido durante o atentado em Juiz de Fora. Naquele, Jair Bolsonaro foi vítima; neste, é o acusado.