Cidadeverde.com

A importância do voto cor de rosa

As eleições têm dominado a pauta até aqui, e não é para menos. No próximo domingo, os brasileiros irão definir o futuro do país e dos estados pelos próximos quatro anos, decisão que deve ser tomada com bastante maturidade e reflexão.

Trago aqui hoje uma outra pauta, que deve e pode ser conectada à discussão política. Trata-se do câncer de mama, um problema de saúde pública que precisa ser tratado com a maior seriedade, já que é o tipo de câncer que mais afeta as mulheres em todo o país.

O Instituto Nacional do Câncer estima que, em todo o ano de 2018, o país registre 600 mil novos casos da doença. É um número expressivo! Mas, felizmente, os avanços na medicina já permitem que mulheres que recebem o diagnóstico possam tratar a doença e levar uma vida tranquila,  após os procedimentos médicos. No entanto, para que isso aconteça, é fundamental que o diagnóstico seja precoce. Quanto mais cedo o tumor é descoberto, maiores são as chances da paciente.

Vamos aproveitar, então, a época da campanha para saber quais candidatos apresentam propostas de prevenção em saúde. O mamógrafo é um equipamento indispensável para que a mulher possa fazer um exame preciso e detecte os primeiros sinais do câncer de mama. Mas o número deles é insignificante na rede pública de saúde, especialmente nas cidades do interior.

Desde 2013, está em vigor uma lei que garante a pacientes diagnosticados com câncer o tempo máximo de 60 dias para ter o tratamento da doença inciado no SUS ( Lei 12.732/12). Infelizmente, é mais uma lei não cumprida no país. Qual dos candidatos está comprometido em fazer cumprir essa lei? Pensemos nisto na hora do voto.Neste Outubro Rosa, votemos rosa para não colhermos espinho.