Cidadeverde.com

Ameaça à Lava-Jato

É grande a expectativa sobre o convite a ser feito pelo presidente eleito Jair Bolsonaro ao juiz Sérgio Moro para que este integre a sua equipe de governo como Ministro da Justiça. O juiz Moro se notabilizou por uma postura séria, rigorosa e implacável com os agentes públicos que praticaram atos de corrupção.

Com o uso da caneta para aplicar penas duras a personalidades de colarinho branco, como nunca antes neste país, rapidamente foi alçado à condição de herói. E assim passou a ser aclamado por onde quer que andasse. Destemido e corajoso, enfrentou poderosos, militância política e todo tipo de adversidade para pôr fim a um esquema de desvio de dinheiro dos cofres públicos que havia se disseminado na administração federal.

Sérgio Moro tornou-se símbolo de um país que luta pela moralização. O simples flerte com um cargo de ministro no futuro governo, porém, pode arranhar a imagem construída ao longo de anos de trabalho. As indagações que virão, justas ou não, serão inevitáveis. E não haverá quem deixe de dizer que tudo foi feito pensando em promoção pessoal, embora a seriedade do juiz seja inquestionável.

A partir de agora, qualquer ato que venha a tomar poderá ser colocado sob suspeição. Jair Bolsonaro foi eleito prometendo varrer o PT do Brasil. Associar-se ao seu governo, portanto, é como  se o juiz houvesse colocado o seu trabalho a serviço de um projeto político. A Lava Jato precisa mais de Sérgio Moro do que o ministério de Bolsonaro. Para ministros da Justiça, há muitos candidatos; outro juiz com a coragem e competência de Moro é mais difícil.