Cidadeverde.com

Cara a cara com Gabriela, a Hardt

O ex-presidente Lula, preso na sede da Polícia Federal desde o dia 7 de abril, por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá, irá depor hoje na Justiça Federal, às 14h; desta vez por conta do processo do sítio de Atibaia.

É a primeira vez que será ouvido pela juíza Gabriela Hardt, que está substituindo Sérgio Moro, desde que ele entrou de férias, tão logo confirmou aceitar o convite para ser ministro da Justiça no governo de Jair Bolsonaro.

Quem acompanha o caso diz que o atual processo é bem mais complexo e robusto em provas contra o ex-presidente que o do triplex.  A ação penal, que agora se encontra nas mãos da Dra. Gabriela, acusa Lula de dez atos de corrupção e 44 de lavagem de dinheiro. Lula já cumpre pena de 12 anos por conta da primeira ação, na qual foi condenado em segunda instância.

A substituta de Moro é conhecida como uma magistrada educada, porém firme e implacável no restrito cumprimento da lei. Foi, inclusive, elogiada por seu antecessor, o futuro ministro da Justiça. Ela tem pleno conhecimento do processo, até porque não entrou na Lava Jato agora, mas acompanha o rumoroso caso desde 2014.

Todas as atenções, hoje à tarde, estarão voltadas para Curitiba, onde os simpatizantes de Lula prometem fazer um ato pacífico de vigília em apoio ao petista. A situação do ex-presidente, no entanto, vai se complicando dia a dia, deixando-o cada vez mais distante dos tempos de glória em que era aclamado de norte a sul do país como o grande líder do Brasil.