Cidadeverde.com

Campanha antecipada prejudica cidade

Infelizmente, aqui no Brasil, a política atrapalha mais do que ajuda. O mesmo vale para o Piauí e, também, para Teresina. Ainda estamos na metade do ano e a próxima eleição municipal só se dará em outubro do ano que vem. Mais de doze meses, portanto, nos separam do pleito que irá escolher o futuro prefeito. No entanto, desde já, não obstante os inúmeros problemas existentes na cidade, o mundo político não se preocupa em discutir ou apresentar soluções para nenhum deles. Em vez disso, ocupam todo o seu tempo em formar conchavos e coligações para saber quem será candidato em 2020.

Até mesmo os que estão ocupando cargo de gestores na função pública parecem se dedicar mais à eleição do que aos seus próprios afazeres, para os quais são pagos com o dinheiro público. Se o teresinense parar para acompanhar um dia qualquer da atividade política da cidade, perceberá que não se trata de outra coisa.

A essas alturas, já existem vários pré-candidatos: o secretário de segurança pública, Fábio Abreu(PL); o ex-deputado Dr. Pessoa ( possivelmente pelo MDB, partido que também trabalha outros nomes) , o deputado Georgiano Neto (PSD), o ex-prefeito Sílvio Mendes, o presidente da Fundação Municipal de Saúde, Charles Silveira (PSDB), o deputado Franzé (PT), só para citar os mais conhecidos.

A antecipação desse debate em nada contribui com a cidade, ao contrário, só prejudica. Precisamos voltar os olhos para questões como o saneamento básico da capital a segurança pública, a poluição dos rios Parnaíba e Poty, a necessidade da geração de emprego e renda, entre tantas outras questões urgentes.