Cidadeverde.com

PF na mira de propina paga por cervejaria Petrópolis

 

A Operação Lava Jato deflagrou hoje cedo mais uma fase de investigação de distribuição de propinas disfarçadas sob a forma de doações eleitorais pelo grupo Petrópolis. Segundo a Polícia Federal, um executivo da Odebrecht teria afirmado em delação premiada que utilizou o Grupo Petrópolis para realizar doações de campanhas eleitorais para políticos de 2008 a 2014, resultando em uma dívida de R$ 120 milhões da Odebrecht com a cervejaria.

A justiça expediu um mandado de prisão preventiva, cinco de prisão temporária e 33 mandados de busca e apreensão em 15 cidades. Os piauienses que receberam doações via cervejaria Petrópolis estão assustados.

Casa de ferreiro...

Ainda em Brasília, após reunião do Fórum dos Governadores, o governador do Piauí , Wellington Dias, concedeu entrevista hoje cedo a uma rádio nacional defendendo um regime previdenciário único para todo o Brasil, incluindo Estados e municípios. Dias afirmou que não adianta o país fazer uma economia anual de R$ 20 bilhões e os estados continuarem com um déficit de R$ 100 bilhões.

Ele elogiou o fato de os benefícios sociais contemplados pela LOAS ( Lei de Organização da Assistência Social) terem ficado fora da proposta aprovada em primeiro turno na Câmara, assim como o regime de capitalização para os trabalhadores. Mas defende a inclusão dos Estados e Municípios na reforma, quando esta for submetida ao Senado.

Está correto o governador. Para fazer efeito, a reforma precisa contemplar todos os entes federativos, caso contrário os estados continuarão afundando em dívidas crescentes que impedem o investimento em obras de infraestrutura necessárias ao desenvolvimento de cada um deles. Falta, no entanto, o governador convencer os únicos dois deputados federais que votaram contra a reforma, justamente os dois do seu partido: a mulher, deputada Rejane Dias, e o amigo pessoal Assis Carvalho.