Cidadeverde.com

Brasil vive 2ª onda da Covid, diz pesquisador da USP

O pesquisador Domingos Alves, do Laboratório de Inteligência em Saúde da Faculdade de Medicina da USP, em Ribeirão Preto, faz um alerta importante: “O Brasil está vivendo a segunda onda da Covid-19”.  E ele fala isso com propriedade. Domingos é um dos responsáveis pelo Portal Covid-19 Brasil.

A conclusão do pesquisador se baseia no crescimento da taxa de reprodução do vírus, a Rt. Quando essa taxa fica acima de 1, como agora, significa que o vírus está se espalhando em grande proporção. Atualmente, o Brasil registra Rt de 1,1, o que equivale dizer que cada 100 pessoas infectadas espalham para outras 110 e, assim, sucessivamente. Os números podem ser ainda maiores do que os que são apresentados, segundo o pesquisador, porque ainda há uma grande subnotificação.

O observatório olha com bastante atenção para a média móvel de casos, porque ela vai além do momento e mostra uma tendência. Domingos Alves diz que o Brasil se assemelha aos Estados Unidos nesta, como na primeira onda. E que o caminho natural para controlar a doença é a testagem em massa e o rastreamento dos infectados. Essa é a responsabilidade dos governos. Quanto à população, cabe a cada cidadão manter o distanciamento social, usar a máscara corretamente sempre que sair de casa e higienizar as mãos com frequência.

O relaxamento, especialmente dos mais jovens e das classes A e B, tem levado a um aumento no número de internações nas redes pública e privada de saúde de São Paulo e do Rio de Janeiro. Os contatos sociais feitos em momentos de lazer, quando as pessoas descuidam, tiram a máscara e se mantêm próximas umas das outras são hoje um grande fator de risco.

Professor Gildásio Guedes é o novo reitor da UFPI

Foto: Ascom

A Universidade Federal do Piauí tem um novo reitor. O professor Gildásio Guedes é o nome escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro. A escolha deverá ser publicada no Diário Oficial da União nos próximos dias. A coluna obteve informação que Gildásio já recebeu um telefonema do presidente. O professor está em deslocamento de Parnaíba para Teresina na manhã desta terça-feira (17). Ele integrava a lista tríplice encaminhada ao Ministério da Educação para a escolha do substituto do atual reitor, Professor Arimateia Dantas.

Gildásio Guedes Fernandes é formado em Matemática pela Universidade Federal do Piauí, com mestrado em Matemática Aplicada pela Universidade de Campinas e doutorado em Educação, pela Universidade Federal do Ceará, com ênfase em Tecnologias Digitais. Atualmente é Diretor do Centro de Educação Aberta e a Distância ( CEAD/UFPI). O vice-reitor é o professor doutor Viriato Campelo, do Centro de Ciências da Saúde.

Ele disputou a vaga com outros quatro candidatos no último dia 12 de agosto, por meio de consulta acadêmica. 

Começa uma nova batalha

Numa disputa acirrada para o Palácio da Cidade, o primeiro turno das eleições municipais terminou ontem com a definição de que os eleitores irão às urnas novamente no segundo turno para escolher o futuro prefeito de Teresina entre os candidatos Dr. Pessoa, do MDB, e Kléber Montezuma, do PSDB.

Dr. Pessoa obteve 34,53% dos votos válidos, o que corresponde a 142.769 votos, enquanto Kléber Montezuma ficou com 26,70%, ou 110.395 votos – uma diferença de 7,83%. A grande surpresa nesta eleição, sem dúvida, foi o desempenho da candidata Gessy Fonseca, do PSC, que teve seu nome lançado de última hora, era praticamente desconhecida da população e conquistou o terceiro lugar na disputa, com 12,14% dos votos. Ela passa a ser a noiva cobiçada deste segundo turno. Desembaraçada, com um discurso em favor do empreendedorismo, ela é jovem, fala bem e soube se posicionar.

De outro lado, surpreendeu negativamente o baixo desempenho do Deputado Fábio Abreu. Deputado Federal, ex-Secretário de Segurança, ele já tinha um nome conhecido na cidade com cargo e mandato de alta visibilidade, mas viu sua candidatura se desidratar e acabou ficando com o quinto lugar na disputa, atrás do deputado estadual Fábio Novo, do PT.

Agora, começa uma nova eleição. É hora de buscar novos apoios e tentar conquistar os votos que no primeiro turno foram para os outros onze candidatos que disputaram o pleito. Mesmo com a declaração de apoio dos candidatos derrotados, a migração de votos não é tão simples e automática, mas, inegavelmente, tem um peso importante. Neste segundo turno, é bom lembrar, já não há o empenho maciço dos candidatos a vereador, por isso os candidatos majoritários têm que suar a camisa para evitar uma abstenção ainda maior do que a registrada no primeiro turno, que foi de 20%

Lei Seca Eleitoral entra em vigor no domingo

Há dois finais de semana consecutivos, o Estado do Piauí já convive com uma espécie de Lei Seca, determinada pelo governador Wellington Dias, para tentar conter a disseminação do novo coronavírus. No próximo domingo, no entanto, estará em vigor a Lei Seca prevista no Art. 347 do Código Eleitoral, instituída no ano de 1967.

A Lei que proíbe a venda e o consumo de bebidas alcóolicas no dia da votação tem como objetivo garantir que o eleitor vote sóbrio e possa fazer uma escolha consciente dos seus futuros representantes tanto no Poder Executivo quanto no Legislativo. Mas ao longo do tempo, essa lei, que já tem mais de 50 anos, foi se flexibilizando e hoje nem todos os Estados a aplicam.

O Piauí deve adotar a Lei Seca durante o próximo domingo até o horário final da votação, às 17h. A fiscalização ficará à cargo da Secretaria de Segurança do Estado e a pena prevista para quem for flagrado descumprindo a Lei é de 3 meses a um ano de prisão, além de multa. Os estabelecimentos que estiverem vendendo bebida alcóolica nesse dia também poderão ser fechados.

O cumprimento da Lei Seca Eleitoral não só garante o voto do eleitor lúcido, como previne brigas de eleitores e partidários que costumam ficar alterados a cada copo de bebida ingerido. A democracia agradece.

Pela 1ª vez, Guarda Municipal vai trabalhar na segurança das eleições em Teresina.

Contagem regressiva para a eleição municipal no próximo domingo. Hoje, a Polícia Militar do Piauí embarca as tropas que vão trabalhar para garantir a segurança no interior do Estado. Ao todo 5.300 policiais estarão de plantão neste domingo para assegurar a tranquilidade do pleito. Em Teresina, pela primeira vez, a Guarda Municipal vai atuar no dia da eleição, somando-se ao efetivo da Polícia Militar, mas, claro, dentro das limitações das suas atribuições. Segundo o comandante da Guarda Municipal, Cel. John Feitosa, 170 guardas estarão em atuação no dia 15.

O trabalho de distribuição das urnas eletrônicas nas sessões eleitorais começará a ser feito a partir das 8h de sábado. A partir de então, cada sessão será guardada por policiais militares. E as ações preventivas para que as urnas funcionem sem interrupção por problemas de falta de energia também já foram tomadas.

A Equatorial elaborou um plano de operação que prevê ampliação da rede e até uma subestação móvel para atender Teresina. No caso das cidades do interior do Estado, a empresa já deixou de prontidão transformadores de força colocados em transportes, no ponto para serem levados aos municípios que, porventura, tiverem problemas com o abastecimento de energia.

O Tribunal Superior Eleitoral comunicou que a partir das 17h do domingo começa a disponibilizar os Boletins de Urna. Com toda a estrutura pronta, agora cabe ao eleitor exercer seu papel com responsabilidade e consciência para consolidar a festa da democracia.

Posts anteriores