Cidadeverde.com

Lacen-PI aguarda equipamento para fazer o sequenciamento da variante Delta

Depois da identificação da variante Delta nos Estados vizinhos do Ceará, Maranhão e Pernambuco, a Secretaria de Saúde do Estado pede o reforço nas barreiras de, pelo menos, 26 municípios piauienses que mantêm fluxo mais intenso com pessoas oriundas desses Estados. É o caso, por exemplo, de Floriano, Amarante, Luzilândia e Pedro II. Este último já intensificou o controle na entrada e saída do município, assim que foi informado de um caso na cidade de Poranga, no Ceará.

A Sesapi está aguardando um aparelho de automação que deve ser encaminhado pelo Comitê Gestor de Recursos Laboratoriais- CGLab – para que o Lacen possa fazer aqui no Piauí o sequenciamento que permite a identificação da variante Delta. Com isso, o Estado terá maior clareza sobre a situação epidemiológica do Piauí com relação à nova cepa do coronavírus.

Os infectologistas avaliam que a variante Delta já pode estar circulando no Piauí. E lembram que ela tem um poder de transmissibilidade bem maior que as demais. A Coordenadora de Epidemiologia do Estado, Dra. Amélia Costa, diz que atualmente a maior incidência dos casos da doença está entre os jovens porque eles estariam banalizando a doença e descuidando dos cuidados básicos, como uso de máscaras e distanciamento social e faz um apelo para que eles mantenham a vigilância necessária até que a pandemia esteja sob controle.

TV Cidade Verde apresenta Concerto para Teresina

Foto: Ascom/OST

No próximo sábado, a TV Cidade Verde oferece um presente a Teresina, como parte da comemoração pelos 169 anos da cidade, celebrado no dia 16 de agosto. A partir das 18h, a televisão vai exibir Um Concerto para Teresina, apresentado pela Orquestra Sinfônica de Teresina, com participação especial do Balé da Cidade e da cantora Gislene Danielle. É a primeira vez que a OST vai se mostrar completa ao grande público desde o início da pandemia. 

O concerto, transmitido ao vivo direto dos estúdios Maria Amélia Tajra, na TV Cidade Verde, traz um repertório especialmente montado para esta data. A apresentação será dividida em três partes. Na primeira parte, a Orquestra vai executar músicas eruditas; na segunda, temas de filmes e, encerrando, um terceiro momento com músicas totalmente dedicadas a Teresina, como Cajuína, de Caetano Veloso e a música Teresina, de autoria do maestro Aurélio Melo em parceria com  José Rodrigues e que se tornou o hino extraoficial da capital piauiense. A música ganhou um arranjo novo, inspirado na música Bolero de Ravel, especialmente feito para este concerto. 

O Balé da Cidade completará o espetáculo com duas participações especiais ao longo da apresentação. Os bailarinos dançarão ao som da Valsa N.2, de Shostokowisch;e de Teresina, de Aurélio Melo. Um presente musical para a cidade que completa mais um aniversário com seus talentos artísticos a despertar os sentidos dos teresinsenses.

Comissão aprova fim do segundo turno em eleição majoritária

Enquanto o mundo inteiro está preocupado com o avanço da variante Delta sobre os casos de Covid, a comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou ontem, na calada da noite, um relatório com mudanças na legislação eleitoral que, entre outras coisas, acaba com o segundo turno para eleição de cargos majoritários (presidente, governadores e prefeitos). Pelo projeto, os eleitores votariam em cinco nomes por ordem decrescente de preferência.

O relatório aprovado é a base para a implantação de um regime conhecido por Distritão, só adotado hoje em quatro países, a saber: Afeganistão, Ilhas Pitcairn, Vanuatu e Jordânia. É o primeiro ponto a se pensar. Que regime é este que não é adotado em nenhuma das grandes civilizações democráticas? Que modelo político queremos implantar no Brasil? A que interesses ele serve?

Na comissão especial o projeto foi aprovado por 22 votos a favor e 11 contra. Ele ainda vai ser submetido ao plenário da Câmara e, depois, do Senado.

Impressionante como as prioridades votadas na Câmara estão dissonantes da realidade das ruas e das necessidades do povo brasileiro. Estamos em meio à uma crise hídrica, com reflexos na produção de energia; vivemos uma pandemia sem precedentes no último século; as mudanças climáticas estão promovendo efeitos desastrosos sobre a vida no país com eventos extremos de seca e chuva. E em meio a isso tudo, alguns parlamentares querem implantar um regime que desidrata os partidos políticos para incentivar candidaturas avulsas de populistas ou celebridades.

Nordeste brasileiro deve enfrentar secas mais intensas

O mundo inteiro volta os olhos hoje para uma preocupação que deveria ser também a do Brasil. Não bastasse os danos irreversíveis causados pela pandemia da Covid, o clima também está provocando danos em todo o planeta. O relatório do Painel Intergovernamental sobre Mundanças Climáticas, divulgado hoje, mostra que a Terra está caminhando rapidamente para um nível de aquecimento que pode comprometer seriamente a nossa qualidade de vida.

De maneira geral, teremos, cada vez mais, eventos extremos, de seca ou de inundações. Basta olhar o que aconteceu recentemente na Alemanha e na Bélgica com cheias catastróficas. Aqui no Brasil, a seca intensa vivida nas regiões Centro e Sudeste também são reflexo do aquecimento global, fenômeno causado pela ação desordenada do homem sobre o meio ambiente.

Não se trata de papo de veganos ou ambientalistas distantes da realidade. É o que já está acontecendo de fato, de forma rigorosamente medida e quantificada.  A temperatura média do planeta subiu 1,1° C desde a segunda metade do século XIX. E essa tendência continua. No melhor dos cenários, alertam os cientistas, a temperatura deve alcançar 1,5°C de aquecimento nas próximas duas décadas.

No Nordeste brasileiro, e mais especificamente no Piauí, o que podemos esperar são períodos de estiagem mais intensos e prolongados que o de costume. E episódios isolados de chuva concentrada em grandes volumes de uma só vez, causando os conhecidos estragos.

Justiça condena Agespisa e Águas de Teresina por falta d'água no Vale Quem Tem

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

A justiça condenou a Agespisa e a concessionária Águas de Teresina a pagarem R$ 100 mil por danos morais coletivos em razão da má prestação do serviço de abastecimento de água no bairro Vale Quem Tem, na zona leste de Teresina. A ação foi ajuizada pelo Procon ainda no ano de 2013, diante das constantes reclamações dos moradores de interrupção no fornecimento de água na região, problema que persiste até hoje.

A 1ª Vara Cível determina a regularização no fornecimento em tempo integral, sob pena de pagamento de multa no valor de R$ 50 mil. A justiça entende que água é um bem essencial e que não pode faltar na casa das famílias.

A Agespisa respondeu dizendo que tão logo tomou conhecimento do problema tomou as providências necessárias e que, em agosto de 2013, perfurou um poço tubular para resolver a situação. A empresa alega ainda que existe uma dificuldade naquele bairro por causa da topografia da região.

A empresa Águas de Teresina argumenta que não pode responder por uma ação de 2013, quando ainda não havia assumido a concessão do serviço na capital. Tanto a Agespisa quanto a Águas de Teresina têm 15 dias para apresentar seus recursos.

Posts anteriores