Cidadeverde.com

Bolsonaro costura nova relação com o Nordeste

Fotos: Wiiliam Souza

O presidente Bolsonaro em Parnaíba

 

Entre mortos e feridos, escaparam todos na primeira visita oficial do presidente Jair Bolsonaro ao Piauí. Ele foi ontem a Parnaíba para participar das comemorações alusivas aos 175 anos da cidade, visitar um megaprojeto de fruticultura irrigada e inaugurar uma escola do Sesc que funcionará no modelo militar.

O governador Wellington Dias foi recepcioná-lo no aeroporto de Parnaíba e o encontro entre os dois ocorreu sem curtos-circuitos. Foi o primeiro encontro do presidente com um governador nordestino depois que ele chamou de “paraíbas” os governadores do Maranhão e da Paraíba.

Antes de visitar o Piauí e depois do choque com os governadores de oposição, o presidente fez outras duas viagens ao Nordeste, ambas à Bahia, porém não foi recebido pelo governador Rui Costa (PT), com quem andou trocando farpas través das mídias sociais.

Wellington Dias aproveitou o encontro institucional e protocolar com o presidente para reforçar o interesse do Piauí na retomada do projeto Tabuleiros Litorâneos: “Recebemos o presidente da República com o devido respeito e ao lado da comitiva fizemos um sobrevoo sobre os Tabuleiros Litorâneos com fruticultura irrigada e que tem uma das maiores produções de frutas orgânicas do Brasil. Agradeci pelo povo do Piauí pela retomada dos investimentos que vão ampliar produção e mais trabalho na região com esse projeto”, disse Wellington. 

No mesmo tom

A cortesia do governador do Piauí não alterou, contudo, o tom político do discurso do presidente. Ele deixou claro que vai esticar a corda com os governadores nordestinos até o fim, se eles não soltarem a ponta dela.

Bolsonaro ressaltou, no entanto, que não fechou porta para nenhum governador. O presidente reclamou que eles é que se reuniram e fizeram uma frente política contra seu governo, querendo separar o Nordeste do resto do Brasil. E isso, avisou, ele não vai admitir.

Jogando mais lenha na fogueira da tensão entre o governo federal e os governadores nordestinos, ele afirmou que a reforma da Previdência deve ser aprovada no Senado com os Estados fora das mudanças, já que os governadores não moveram uma palha para aprovar a PEC na Câmara dos Deputados.

Em discurso para a multidão no aeroporto de Parnaiba, ele garantiu que vai varrer "a turma vermelha do Brasil", em referência ao PT e aos seus aliados da esquerda.

 

Bolsonaro quebra o protocolo e se aproxima da multidão

Canal direto

Bolsonaro deixou claro também que vai procurar estabelecer um canal direto com os prefeitos do Nordeste e com o povo.

Em Prnaíba, ele quebrou o protocolo diversas vezes para ficar mais perto da multidão que o assediava. Também chegou a parar o carro oficial para cumprimentar e abraçar moradores de uma rua da cidade, no trajeto da comitiva presidencial.

O prestígio que deu ao prefeito Mão Santa é também um indicativo dessa nova postura do Planalto. O presidente convidou também para a sua comitiva o prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), e o presidente da APPM, Jonas Moura.

Com isso, Bolsonaro dá início a uma nova era nas relações do poder central com os políticos do Nordeste, cujas lideranças regionais passaram os últimos 15 anos alinhadas ao projeto do PT.

Ficou evidente que os tempos, agora, são outros.