Cidadeverde.com

Reforma tributária não passa fácil

Foto: Pablo Cavalcante/RCV

Presidente Bolsonaro manda retirar radar móvel das estradas

 

A aprovação da reforma tributária será mais difícil que a da Previdência. A previsão é do deputado federal Átila Lira (PSB) e foi manifestada ontem em entrevista ao programa “Cidade Verde Notícias”, da Rádio Cidade Verde FM 105,3.

O parlamentar lembrou que a proposta de reforma tributária mexe com dinheiro da União, dos Estados, dos municípios e do contribuinte, o que torna difícil o consenso para a sua aprovação no Congresso Nacional.

Ele observou que os Estados e Municípios querem aumentar as suas receitas, enquanto o contribuinte quer é reduzir a carga tributária.

Átila Lira informou que três projetos estão em andamento. Um deles é o do governo. Ele adiantou que acompanha o governo, mas entende que a aprovação será difícil e não sairá este ano. Se ela vier a ocorrer, será apenas em 2020, e não de forma ampla como está proposta.

O deputado disse que o governo federal está em crise, porque a União, hoje, já tem uma arrecadação inferior ao que precisa gastar. “Está se sustentando de empréstimo, emitindo título da dívida pública”, enfatizou.

Nessa situação, calcula, a União não tem como abrir mão de receitas em favor dos Estados e dos Municípios.

Então, pelas suas contas, a reforma tributária será parcial, devendo cuidar, fundamentalmente, da multiplicidade de impostos e da simplificação da vida do contribuinte.

O debate está lançado.

 

 

Foto: Divulgação

Ninguém reclamou da homenagem do Sesc ao ex-prefeito Florentino Neto, do PT.

Nova sede do Sesc

No final de semana, um dia depois da contestada homenagem ao presidente Jair Bolsonaro, o Sistema Fecomércio Sesc/Senac inaugurou em Parnaíba a sua nova sede, onde está instalado também o Centro de Educação Profissional, além de laboratórios, biblioteca, auditório e outros espaços.

A nova Escola do Senac recebeu o nome do ex-prefeito Florentino Véras Neto, atual secretário de Saúde.

Homenagem

Segundo o presidente da Fecomércio, Valdeci Cavalcante, Florentino Neto, quando prefeito de Parnaíba providenciou a doação, pelo município, dos dois terrenos onde foram construídos os prédios do Senac e da Fecomércio.

Desta vez, porém, não apareceu ninguém questionando a homenagem do Sesc a uma pessoa que está vivinha da silva e vendendo saúde.

Certamente, a filiação partidária dele é que faz a diferença.

Perigo nas praias

Os médicos Franck Janes Paula Lira e Maura Gomes Barbosa divulgaram nota pública ontem denunciando “o desrespeito com banhistas que se tem constatado em algumas praias do Piauí, como em Barrinha e Barra Grande, no Município de Cajueiro da Praia.”

Conforme a nota, “banhistas em geral, principalmente crianças e idosos, não têm mais segurança para usufruir de nossas praias, devido a prática irresponsável de kitesurf na faixa de praia rasa, de 5 a 15 metros da margem, no meio de banhistas, colocando em risco a integridade física das pessoas”.

O caso foi denunciado também ao Ministério Público.

Deficiente

O deputado federal Flávio Nogueira (PDT-PI), apresentou o Projeto de Lei n°4445/19, estabelecendo que o Poder Executivo, por iniciativa própria e por meio de convênios, promova atividades de qualificação de beneficiários reabilitados da Previdência Social, bem como de pessoas com deficiência para adequada inserção no mercado de trabalho.

Para o deputado, a falta de experiência no mercado de trabalho faz com que muitos sofram com o reduzido número de vagas, sobretudo pessoas com deficiência, e, também, beneficiários reabilitados da Previdência. 

 

 

* O reitor da UFPI, professor Arimatéia Dantas Lipes, recebeu ontem a bancada federal do Piauí para expor a situação financeira da instituição.

* Ele pediu ajuda aos parlamentares principalmente para ampliar a capacidade de atendimento do Hospital Universitário aos pacientes com doenças do coração e oncológicas.

* O reitor solicitou ainda recursos para a estruturação do Curso de Medicina no Campus de Picos – aproximadamente R$ 37 milhões.

* Os parlamentares se comprometeram a lutar por recursos federais para a UFPI.

 

 

O Mito

O professor Gilmar Soares, da USP, conversa com o vice-prefeito de Dom Inocêncio, Marcos Damasceno (PT), sobre o governo Bolsonaro: 

Soares: - Batizaram esse governo de "Governo do Mito".

Damasceno: - Pois eu tô achando que tá mais para "Governo do Mico".