Cidadeverde.com

IFPI celebra 110 anos de ensino profissional

Foto: Cidadeverde.com

 

 

Entre o final do século 19 e o início do seguinte, o processo de industrialização do Brasil começava a se acelerar.

Diante da falta de mão-de-obra para atender ao desenvolvimento industrial do país, o presidente Nilo Peçanha criava, em 1909, em cada Estado, a Escola de Aprendizes Artífices.

Mais tarde, o estabelecimento seria transformado em Escola Industrial, virando depois em Escola Técnica Federal do Piauí.

Já no final do século 20, passaria a se chamar Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) e, no começo do novo século, receberia a atual denominação de Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (IFPI).

Essas instituições, consolidadas pelo processo de continua evolução, tornaram-se geradoras de conhecimento, lançando no mercado de trabalho, ao longo de sua história, dezenas de profissionais qualificados pela formação integral.

Festa de aniversário

Os 110 anos do IFPI, considerado uma escola modelo, serão celebrados hoje com vasta programação no Campus Central de Teresina.

Além de apresentações culturais, a programação contará com homenagem aos aposentados, lançamento do Portal dos Egressos, mostras e exposições de trabalhos e projetos desenvolvidos no IFPI em diversas áreas.

Como parte da programação, a Assembleia Legislativa fará hoje, às 10h, uma sessão solene em comemoração ao aniversário do IFPI. A homenagem foi proposta pelo deputado Francisco Limma (PT).

O reitor do IFPI, professor Paulo Henrique Gomes de Lima, ex-aluno da instituição, destaca que é importante comemorar a data e refletir sobre a contribuição das escolas de Aprendizes Artífices, dos Cefetes e, agora, dos Institutos Federais para o panorama geral do ensino e da pesquisa no país, especialmente do ensino técnico e profissionalizante.

Foto: Pablo Cavalcante

Reitor do IFPI, professor Paulo Henrique Gomes de Lima

As conquistas

De fato, o IFPI chega aos seus 110 anos com números de encher os olhos. O instituto conta hoje com 190 cursos técnicos, 52 cursos de graduação, 27 especializações lato sensu e quatro mestrados, nas 20 unidades distribuídas em 18 municípios, incluindo Teresina, onde estão instalados três campi. São 25 mil alunos e 2.200 servidores, entre professores e técnicos.

Dos seus campi saem pesquisas de alta relevância, com aplicação prática nas mais diversas áreas, entre elas engenharia de materiais, informática, tecnologia do tecido e alimentação.

O alto nível do ensino oferecido pelo IFPI se confirma no desempenho de seus alunos em competições escolares como as olimpíadas internacionais de conhecimento.

O município de Acauã, conhecido nacionalmente como cidade-símbolo do Programa Fome Zero, no início de 2003, começa a mudar a sua história e agora já passa a ser citada pelo desempenho no conhecimento.

O estudante Ednaldo Sousa, natural de Acauã e que estuda no campus do IFPI de Paulistana, cidade vizinha, participou, em agosto passado, da 13th International Earth Science Olympiad, na Coreia do Sul. Ele trouxe duas medalhas para o Brasil.

Um exemplo como este motiva toda a rede de ensino do IFPI. Em novembro próximo, seis alunos e um professor do campus de Angical estarão na China, para participarem de um campeonato internacional de matemática, o World Mathematics Team Championship.

O IFPI segue, assim, a sua já secular e vitoriosa caminhada em busca da "educação de excelência direcionada às demandas sociais", transformando vidas e colocando o ensino público do Piauí nos mais elevados patamares.

Foto: Pablo Cavalcante/RCV

Professor Paulo Henrique, reitor do IFPI, nos estúdios da Rádio Cidade Verde