Cidadeverde.com

Reforma da Previdência do Piauí prevê aumento de alíquota

Foto: Divulgação/Alepi

Representantes de categorias de servidores públicos na Assembleia Legislativa

 

Um dos projetos do pacote de reforma da Previdência estadual em tramitação na Assembleia Legislativa autoriza o Governo do Estado a aumentar a alíquota de contribuição previdenciária.

Com a reforma feita no mandato passado pelo governador Wellington Dias, a alíquota de contribuição do Piauí subiu para 14%, a mais alta do país.

Mas, pela nova proposta, essa alíquota poderá subir ainda mais. O governo quer que a contribuição de servidores ativos, inativos e pensionistas aumente sempre que houver déficit na Previdência.

Como o déficit nas contas da Previdência estadual já passa de R$ 1 bilhão ao ano e será permanentemente, é certo que haverá aumentos anuais para a alíquota.

Contribuição extra

A reforma também institui a contribuição extraordinária para ajudar a cobrir o déficit previdenciário.

O governo estima que, coma nova reforma, o rombo nas contas da Previdência estadual cairá para R$ 200 milhões ao ano.

Mas não explicou ainda como isso ocorrerá na prática. Apesar disso, o governo quer que a reforma seja aprovada em regime de urgência urgentíssima, ainda este ano, sem chance para discussão.

 

A reforma autoriza aumento da alíquota da Previdência 

Protesto

Várias categorias de servidores públicos foram ontem à Assembleia Legislartiva protestar contra a proposta de reforma previdenciária. Os líderes dessas categorias procuraram os parlamentares para expor suas críticas ao texto.

Entre outras entidades, estiveram na Assembleia a Associação dos Magistrados do Piauí, o Sindicato dos Policiais Civis, Auditores Fiscais, professores e outras entidades. O encontro aconteceu no gabinete da presidência da Assembleia.

Os servidores solicitaram explicações sobre o pedido de urgência na tramitação da reforma da Previdência e criticaram a pressa na aprovação da matéria.

Um ato público dos servidores foi convocado para segunda-feira,às 9 horas, na Assembleia.