Cidadeverde.com

A volta das filas do INSS

Até o governo passado, as filas do INSS eram coisa do passado. Elas eram muito comuns nos governos Sarney, Collor, Itamar e FHC, até o começo do governo Lula. Houve, inclusive, um ministro petista que arrastou os aposentados de até 100 anos para a fila.

Mas no governo Lula isso foi resolvido. A aposentadoria passou a ser concedida de forma rápida. Ainda em seu primeiro mandato, o governo aumentou o número de agências e zerou as filas.

Isso vinha funcionando razoavelmente até o governo passado.

Mas aí o governo Bolsonaro chegou fechando agências, diminuindo o expediente e restringindo o atendimento por meios eletrônicos (limitando o acesso de idosos, cuja maioria não domina essa tecnologia).

Além disso, muitos servidores se aposentaram e não foram substituídos. E, recentemente, com a reforma da Previdência, os sistemas ficaram alterados, mudando a rotina de artendimento.

O resultado é que existe uma fila de espera que já passa de mais de 2 milhões de segurados. Todos aguardam algum serviço do órgão.As aposentadorias, por exemplo, estão travadas desde o início de novembro do ano passado.

Diante da grita geral, o secretário-geral da Previdência, Rogério Marinho, anunciou que o governo vai publicar um decreto para recrutar até 7 mil militares da reserva para desafogar filas de espera no INSS.

Ora, militar é para outro tipo de atividade. Para resolver esse problema, o governo tem é que fazer concurso e contratar técnicos qualificados.

 

 

Mudo

O prefeito Firmino Filho já retornou da viagem de férias de 15 dias ao exterior.

Chegou calado e calado ficou, examinando o quadro sucessório municipal, que andou se mexendo durante a sua ausência.

Até amanhã ele quebra o silêncio.

Faz de conta

A partir de agora, o TCE vai ficar de olho também nos ‘gazeteiros’.

São aqueles prefeitos e secretários de Educação que fazem de conta que suas escolas dão aulas.

Neste início de ano letivo, o Tribunal faz um alerta a todos os municípios para que cumpram a carga horária mínima de 800 horas anuais, em 200 dias letivos.

Fiscalização

Uma auditoria realizada pelo TCE, no final do ano passado, através da Divisão de Fiscalização da Educação, constatou que vários municípios não estavam fazendo o dever de casa, nesse quesito.

O Tribunal decidiu acabar com o embromeixon, cobra o cumprimento integral da carga horária e avisa que vai reprovar parcial ou totalmente as contas dos ‘gazeteiros’, além de aplicar multas neles.

Uma providência nota 10 em defesa do ensino público.

Conta de luz

O presidente Jair Bolsonaro desistiu de dar desconto na conta de energia de igrejas.

Agora ele tem mais chance de salvar sua alma, pois aumentar ainda mais a conta de energia dos brasileiros para subsidiar a conta de luz das igrejas, que já não pagam impostos, seria um pecado imperdoável.

 

 

* O presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, suspendeu por seis meses a a implementação do juiz das garantias.

* Também decidiu excluir a sua aplicação nos processos de competência do Tribunal do Júri e casos de violência doméstica.

* Em Teresina, a situação no ninho tucano hoje é esta: o ex-prefeito Silvio Mendes só será candidato se for uma imposição do partido.

* Já o professor Washington Bonfim tem condição de ser candidato numa imposição do prefeito.

 

 

PPP Solar

O governador Wellington Dias lançou ontem o edital da Parceria Público-Privada para a construção e gestão de oito miniusinas de energia solar fotovoltaica. Um observador comentou:

- O governador tá fazendo PPP até do Sol.