Cidadeverde.com

Governo também espalha 'fake news' sobre coronavírus

Foto: Divulgação/Sesapi

Secretaria de Saúde reúne-se com diretores de hospitais particulares

 

O Governo do Piauí informou, ontem, que autorizou a Secretaria de Segurança a investigar as pessoas que distribuem fake news pelas redes sociais sobre o coronavírus (Covid-19), dando conta que o Estado tem casos confirmados da doença.

De acordo com o governador Wellington Dias, a situação é muito séria e envolve profissionais das mais diferentes áreas, tendo também um impacto econômico.

“É uma situação em que precisamos lidar, principalmente, com a verdade. E a verdade, no momento, é que nos exames já realizados no Piauí não se confirma nenhum caso”, reagiu.

O governador aproveitou para chamar a atenção para que a população evite reproduzir fake news e reafirmou que todos os protocolos do Ministério da Saúde estão sendo cumpridos no Piauí.

A rede de UTI’s

Muito bem! É correta a atitude do governador em relação às fake news. Elas são altamente prejudiciais, sobretudo neste momento de crise, pois espalham boatos e contribuem para criar um clima de pânico na população.

Acontece, porém, que o próprio Governo do Piauí é o primeiro a espalhar notícias falsas sobre o Covid-19, quando anuncia que vai alugar leitos nos hospitais privados para tratar os doentes que venham a ser infectados pelo vírus.

Toda a rede hospitalar do Piauí conta com 422 leitos de UTI. Desse total, 215 são de hospitais privados e 192 dos hospitais estaduais. Os outros 15 são do Hospital Universitário.

Outra coisa: a maioria desses leitos de UTI se concentra em Teresina e em alguns municípios do Norte do Estado.

Para o lado do Sul do Piauí, apenas o Hospital Regional de Floriano conta com esse tipo de leito. E eles estão todos ocupados com pacientes internados com outras doenças.

De Jerumenha a Cristalândia, uma distância de 600 quilômetros – a mesma de Teresina a Fortaleza – não há um só leito de UTI. Nos municípios da região moram aproximadamente 300 mil pessoas.

Falta leito em todo lugar

A falta de leito nas Unidades de Terapia Intensiva não é uma situação particular do Piauí. No Brasil inteiro o quadro é este: falta leito nas UTI’s há muito tempo.

Só que a situação do Piauí é mais grave. O jornal Folha de S. Paulo mostrou que o Piauí tem uma taxa de 0,56 leito por 10 mil habitantes, a mais baixa do país.

A proporção recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é de pelo menos 1 leito para cada 10 mil habitantes.

Fila de espera

Até ontem, o Piauí tinha 28 pacientes com suspeita de coronavírus, mas sem nenhum caso confirmado, felizmente.

Em relação ao Covid-19, como se trata de uma pandemia, nenhum Estado e nenhum país tem leito suficiente para atender todos os doentes.

Mas a rede particular do Piauí, independente de coronavírus, não dispõe de leitos de UTI para alugar em seus hospitais. O governo sabe disso. Todos os leitos já estão ocupados e ainda há fila de espera.

Então, quando o governo anuncia que vai alugar leito de UTI na rede particular para tratar de pacientes com coronavirus está dando, na verdade, uma informação falsa.

A não ser que venha a despejar das macas os pacientes que já estão na UTI, entre a vida e a morte, com outras doenças.

Outra: houve na segunda-feira passada uma reunião da Secretaria de Saúde com diretores de hospitais particulares e nada disso foi tratado. Apenas perguntaram se os protocolos estavam sendo seguidos.

Se o Governo do Piauí preza tanto pela verdade, como vem cobrando, também não deve divulgar informação falsa.

Basta as informações verdadeiras sobre o coronavírus, que já são apavorantes.